Comumente ligado à agressividade, os jogos violentos são vistos como um grande problema por parte da sociedade. Porém, a Universidade de Oxford realizou um estudo para comprovar se jovens que jogam esses títulos são mais agressivos do que quem não joga. Não houve evidências que comprovam essa afirmativa.

O estudo – realizado por Andrew Przybylski e Netta Weinstein -, considerou um pouco mais de mil jovens britânicos entre 14 e 15 anos, que têm a mesma quantidade de responsáveis. Foram 2008 responsáveis, que forneceram informações sobre o comportamento dos filhos, sem indicar nenhuma relação.

Para o psicólogo experimental e diretor de pesquisas da Oxford Andrew Przybylski, “a ideia de que videogames violentos levam a agressão no mundo real é popular, mas não foi muito bem testada ao longo do tempo”.

A legitimação do estudo se deu pela aprovação da Royal Society Open Science, renomada revista do Reino Unido. Lá é onde se encontra todo o artigo em inglês.