YJ, da W7M, durante a decisão da Brasil Game Cup 2018 – Foto: Felipe Guerra

Isurus Gaming e W7M Gaming estão nas finais da etapa brasileira da LA League. As equipes venceram os confrontos dos vencedores de seus respectivos grupos e já se garantiram na próxima fase da liga.

Os argentinos fizeram 2 a 0 na Detona Gaming, com 16-3 na Nuke e 16-5 na Mirage. Os Bulls, por sua vez, venceram a Sharks Esports de virada por 2 a 1, com 11-16 na Inferno, 16-14 na Cache e 16-10 na Train.

Agora, a dupla espera pelo restante dos confrontos dos grupos A e B. De cada chave ainda sairá mais um classificado para as semifinais e, de lá, sairão as duas equipes que vão representar o Brasil na decisão presencial da LA League no início de março.

Nesta quarta-feira, as primeiras eliminadas serão conhecidas. Às 18h30, a Turma do Pagode enfrenta a Imperial e-Sports. Às 21h, a paiN Gaming encara a Evidence Esports.

Isurus atropela Detona

No duelo entre Brasil e Argentina, a Isurus não tomou conhecimento da Detona e fez 2 a 0. Começando na Nuke, os hermanos jogaram no lado terrorista, considerado desvantajoso no mapa, e abriram uma ampla vantagem.

Sem sofrer grandes danos econômicos, a Isurus fez 6-1 com facilidade antes de deixar Vinícius “v$m” Moreira e companhia marcarem seu segundo ponto. A rodada vencida pela Detona não abalou os argentinos, que encaixaram seis execuções e abriram 12-2 ainda na primeira etapa.

Os brasileiros marcaram mais uma vez antes da virada de lados, mas foi só. Na defesa, Ignacio “meyern” Meyer e seus companheiros fecharam o mapa em 16-3.

Na Mirage, o domínio inicial foi ainda maior. Como CT, a Isurus contou com uma atuação impecável de Gabriel “1962” Sinopoli – que chegou a ficar 13/0 -, para abrir 9-0. A Detona respondeu encaixando quatro execuções e reagindo no placar.

Antes do final da primeira metade, os argentinos lideravam por 11-4. Na segunda etapa, a história foi a mesma. A Isurus venceu os rounds iniciais e não demorou para chegar ao match point. Os brasileiros ainda se seguraram por mais uma rodada, mas acabaram caindo por 16-5 na sequência.

W7M vira para cima da Sharks

No encontro entre Sharks e W7M, melhor para os Bulls. Mapa do adversário, a Inferno começou com um domínio de Leonardo “leo_drunky” de Oliveira e seus companheiros.

Como CT, a Sharks não deu espaço para a W7M e fez 7-1 rapidamente. Com uma defesa bem postada, os Tubarões conseguiram terminar a primeira etapa sem ceder nenhum ponto e fizeram 14-1.

Depois da virada de lados, a W7M apareceu para o jogo. Rafael “RAAFA” Lima e seus comandados mostraram um CT sólido para diminuir a vantagem adversária, mas não foi o suficiente. No final, vitória por 16-11 para a Sharks.

Na Cache, a W7M teve um excelente começo no lado terrorista. Os Bulls abusaram do poderio ofensivo para abrir 8-1 sem grandes dificuldades. A Sharks respondeu pontuando, mas não conseguiu abalar o bom momento dos adversários – que fizeram 13-2 na primeira etapa.

O segundo tempo, porém, foi de reação da Sharks. Com o veterano Renato “nak” Nakano liderando as ações e protagonizando nas kills, os Tubarões venceram 12 dos 13 rounds para empatar o duelo em 14-14.

Mesmo com armamento inferior, a W7M conseguiu vencer a rodada 29, chegando ao match point e jogando a pressão para a Sharks. A equipe não foi capaz de conseguir o empate e os Bulls fizeram o 16-14.

Fechando a série na Train, a W7M contou com Lucas “YJ” Yuji inspirado para abrir uma larga vantagem já no primeiro tempo. Com o jogador chegando a incrível marca de 17/1, a equipe superou a derrota no primeiro armado abrindo 13-2 antes da virada de lados.

No segundo tempo, a Sharks começou inspirada e conseguiu diminuir a vantagem adversária para 14-7. A W7M respondeu conquistando um ponto e alcançando o match point.

Depois de três defesas dos Tubarões, a W7M finalmente fechou o jogo fazendo 16-10 e 2 a 1 na série.