Tfue
Tfue, astro da FaZe no Fortnite (Foto: Reprodução/Twitter)

Um das parcerias mais lucrativas do Fortnite está na mira do tribunal. Turner “Tfue” Tenney, streamer e jogador profissional da FaZe Clan, está processando a organização norte-americana por conta de um contrato abusivo.

A informação foi revelada pelo site The Hollywood Reporter.

De acordo com a publicação, o vínculo atual entre as partes, firmado em abril de 2018, prevê que Tfue fique com apenas 20% dos lucros de vídeos promovidos pela marca com sua participação na Twitch, YouTube e nas mídias sociais. A quantia sobe para 50% quando se fala em aparições em eventos.

Os representantes legais de Tfue afirmaram ao site que o jogador tentou encerrar seu vínculo em setembro de 2018, mas a FaZe não aceitou a ruptura. Agora, o jogador está tentando ter seu vínculo com a organização norte-americana encerrado na justiça.

Além do vínculo abusivo – que, segundo os representantes legais de Tfue -, ferem as leis da Califórnia, há outras pautas na acusação. O documento também afirma que a FaZe Clan deu álcool a Tfue e a outros youtubers antes que eles tivessem 21 anos – a idade legal para beber nos Estados Unidos -, e os encorajou a apostar ilegalmente – além de pressionar para que eles se mudem para a casa da organização em Hollywood Hills.

Procurada pela reportagem do The Hollywood Reporter, a FaZe não havia respondido às acusações até o momento da publicação. Horas depois, a equipe europeia publicou em sua rede social, afirmando que não teve nenhum lucro com premiação e canais do jogador. A FaZe também disse que os contratos são de no máximo 20% das premiações para a organização e 80% para os jogadores, mas não é o caso de Tfue.

Segundo a FaZe, a organização faturou 60 mil dólares ao lado de Tfue, enquanto ele “ganhou milhões como um membro da FaZe Clan”. A equipe afirmou estar “chocada e decepcionada” com as acusações, mas continuará dando suporte para o jogador.