No último domingo (28), a Fnatic fez história ao emplacar uma vitória dominante sobre os americanos da Cloud9 nas semifinais do Mundial 2018 de League of Legends, conquistando a primeira vaga ocidental na grande final do torneio desde 2011. Após a série, a equipe comentou os jogos e a expectativa para a série decisiva em entrevista coletiva. Confira:

Rekkles ao lado de Jackeylove, ADC da Invictus Gaming (Foto: Divulgação/Riot Games)

Para o Broxah, em nossa primeira entrevista nesse ano, te perguntei quão realista era a ideia de vencer o Mundial e você disse: “De uma perspectiva ocidental, é sempre meio que um meme dizer ‘Eu quero vencer o Mundial’ e tal”. Você gostaria de se retratar por essa fala agora?

Broxah: Obviamente, agora, eu quero me retratar sobre a declaração. Nós estamos muito mais próximos de vencer o Mundial do que eu esperava. Eu tinha grandes esperanças de ir para as semifinais neste ano, talvez ir para a final, fazer história, eu acho. Mas esse é um sentimento estranho, eu sei que fizemos um ótimo jogo. Eu não sinto esse hype ainda. Ainda temos trabalho a fazer. Enquanto eu estou realmente feliz e, de certa forma, aliviado, tem bastante trabalho para fazer antes da satisfação chegar completamente aqui.

Rekkles, essa é a primeira vez que um time ocidental e da região EU consegue ir para a final nos últimos sete anos. Depois de todo esse tempo, o que significa finalmente ter um time ocidental na final?

Rekkles: Honestamente, eu não acho que significa algo. Se vencermos, significa algo, mas se perdermos, todo mundo se esquecerá disso em um ano. Eu não acho que tem alguém satisfeito. Talvez os fãs estejam, mas para nós, é apenas mais um jogo.

Bwipo, nós conversamos sobre como você não estava realmente animado sobre jogar contra o Wunder, da G2, ou o Licorice, da Cloud9, mas quando falamos sobre o TheShy, da iG, de quem você foi fã por muito tempo, a ideia te animou. Você pode falar sobre como será jogar contra o TheShy na final? Você está animado?

Bwipo: Agora, eu não estou tão animado. Eu acho que ainda temos que nos preparar para as partidas, ter uma ideia de como será, mas, em geral, sim, eu estou ansioso para jogar contra ele. Eu acho que ele realmente é um bom jogador. Se eu puder fazer um bom jogo contra ele, se eu conseguir bater ele, eu posso provar que pertenço ao topo.

Rekkles, depois de vencer a EDG, você disse que sentia que a EDG era mais forte que a iG. Depois da série de ontem, você ainda acredita nisso? Qual é sua maior preocupação sobre a final?

Rekkles: Eu não sei o que se pode tirar da série de hoje ou da de ontem porque eu acredito que os dois confrontos foram unilaterais e muito fáceis para os times bons, ou os times que estavam vencendo. Eu ainda acredito que a iG teve dificuldades em algumas áreas do jogo. Eu nos veria como favoritos para a final. Se fizermos bem e jogarmos o nosso jogo, provavelmente acabaremos sendo os vencedores.

Caps, você já jogou contra o Rookie três vezes no Mundial, e jogará contra ele de novo na final. Como você acredita que será jogar contra ele na série decisiva?

Caps: Nós jogamos em vários eventos grandes, mas nunca jogamos uma final de Mundial antes, então é difícil dizer como eu jogarei e como outras pessoas jogarão. Mas eu sinto que vi tanto do Rookie e que jogamos tantas vezes contra ele que, agora, eu meio que sei suas fraquezas. Eu sei o que faz dele diferente de outros midlaners. Eu estou bem confiante sobre jogar contra ele. Eu acredito que o que ele faz será bem mais difícil de fazer na final, e acho que somos um time melhor, que temos uma boa ideia de como batê-lo.

Bwipo, você é metade brasileiro e tem todos os brasileiros torcendo por você. Como você se sente sobre isso?

Bwipo: Quanto mais pessoas querendo que a Fnatic vença, melhor, eu acho. É muito bom saber que eu meio que tenho a nação me dando apoio. Eu acho que a maioria das pessoas querem nos ver ganhando, pelo menos do nosso lado da comunidade, então eu espero que nós posamos dar isso a eles, e retribuir todo o suporte que temos recebido. Dede o início, a maioria das pessoas realmente acreditou que poderíamos chegar tão longe, e o fato de que conseguimos significa que temos que levar isso para casa para provar que somos o melhor time do mundo.

Bwipo, você ficou surpreso com o draft da Cloud9, especialmente sobre eles terem jogado em volta do 1-3-1?

Bwipo: Eu não fiquei muito surpreso. Eu pensei que se eles fossem deixar um campeão aberto que fosse forte como o Viktor ou o Aatrox, a C9 tem uma tendência de colocar um pick inusitado no lugar. Eu acredito que dessa vez a escolha deles foi bem ruim. Eu não acredito que o Ekko seja um campeão que mostraria resultados no palco contra o Viktor. Então eu joguei o melhor Viktor que eu pude e isso foi bom o suficiente para derrubá-los.

Caps, nós vimos a sua família torcendo por você na plateia. O apoio da sua família é uma grande parte do seu desempenho, de alguma forma?

Caps: Eu estava muito animado sobre meu pai estar me assistindo. Sei que minha mãe e o restante da minha família estão me assistindo de casa. É definitivamente muito legal ter minha família me apoiando. Eu também vi muitas placas com “Caps” escrito na plateia, e eu vi muitos fãs da Fnatic, o que definitivamente me deixa animado e hypado sobre o jogo. Isso ajuda para que quando você está nervoso ou sem confiança para fazer algo, você só faz pensando em deixar os fãs orgulhosos. E eles estão lá nos apoiando.

Youngbuck, vocês fizeram uma série dominante na semifinal. O que você acredita que tem que superar quando você tem apenas dois dias ao invés de uma semana de preparação?

Youngbuck: Eu acredito que seja sobre entender o que fazer para ser melhor que nossos oponentes no nível 1, rotas da jungle, quais campeões eles querem jogar, combinações específicas de campeões que nós gostamos de usar e eu acredito que temos uma boa comissão técnica para isso, o Dylan, eu e o Jack, que não está aqui mas em algum lugar lá atrás. Nós separamos todo o trabalho e temos muita coisa a fazer, porque nossa meta é vencer o mundial. Eu acredito que nenhum dos jogadores ou dos membros da staff está em um estado de burnout ainda, geralmente acontece, o que eu acho que aconteceu com a G2 e com a Cloud9, inclusive — em que eles alcançaram sua meta ou foram além dela e não sentiram a mesma sede por continuar trabalhando. A nossa sede para vencer a final está aí, então continuaremos trabalhando.

Broxah, mais cedo no torneio, alguém me perguntou qual campeão eu penso que é o menos provável de ser jogado neste Mundial, e eu coloquei a Rek’Sai no topo da lista. Hoje, você trouxe ela e venceu. Qual foi a inspiração nisso?

Broxah: No nosso jogo contra a EDG nas quartas de final, o Xin Zhao foi uma das maiores prioridades, então percebemos que encontrar um counter ou algo que é bom contra ele seria uma boa opção. Testamos alguns picks e a Rek’Sai foi o campeão mais viável contra o Xin Zhao. Funcionou muito bem. A escolha teve base na nossa série contra a EDG, em que o Xin Zhao foi muito forte, e a Rek’Sai foi um counter secreto para isso, ou pelo menos jogável.

Rekkles, você esteve em muitas escalações diferentes em sua carreira e também na Fnatic. O que faz esse time ser diferente dos outros em que você esteve?

Rekkles: Eu acredito que eu sempre estive com bons jogadores. Eu não posso dizer que tive o azar de jogar com um time ruim. Eu diria que a maior mudança este ano foi que estamos jogando realmente muito bem juntos. Mesmo em 2015, nós não éramos tão bons como um time — nós éramos carregados pelo Huni e, quando ele não conseguiu nos carregar contra a KOO Tigers, nós não tínhamos muito a oferecer. Dessa vez, independente do que os times tragam contra nós, temos algo para responder, e algo está indo muito bem. É por isso que estamos onde estamos. Nós não temos muitas fraquezas, os times não conseguem realmente se preparar contra nós e eles não conseguem fazer coisas loucas contra nós.

Rekkles, você é conhecido por fazer julgamentos racionais sobre jogadores e times. Qual é sua opinião subjetiva sobre as chances da Fnatic contra a iG na final?

Rekkles: Eu acredito que nossas chances sejam maiores do que as deles. Eles tiveram uma vitória gratuita nas semifinais, e nas quartas eles poderiam ter perdido. Nós batemos eles na fase de grupos, e vencer não está fora de questão. Eu acredito que nós somos mais fortes.