O Clube de Regatas do Flamengo e a Riot Games responderam sobre a denúncia do aliciamento do top laner Renan “Nyu” Augusto da TShow.

O caso

A TShow denunciou o Flamengo pelo aliciamento do top Nyu. A organização revelou que o Flamengo chegou a entrar em contato diretamente com o jogador e afirmou que tinha o aval da Riot Games para prosseguir com a negociação.

Resposta do Flamengo

O Flamengo reitera que todas as negociações e contratações para a equipe de League of Legends foram feitas de acordo com às regras da Riot Games.

“Sobre a negociação com Nyu é importante esclarecer que, além da TShow estar ciente da aproximação do Flamengo com o atleta e chegar a ter oferecido o referido profissional ao clube, as negociações foram dentro das regras, mas, mediante exigências da equipe do atleta, acabaram não se concretizando,” esclareceu o clube na nota.

Nyu, top laner da TShow –
Foto: Promo Arena

A equipe carioca explica novamente que as regras para o Circuito Desafiante a para o CBLOL são diferentes e que o Flamengo sempre se reporta à Riot Games antes de qualquer movimento relacionado a contratações de jogadores para sua equipe.

“Todas as ações estão alinhadas junto à Riot com total segurança, já que estão documentadas todas as autorizações e comunicações. O clube repudia as denúncias infundadas supracitadas e irá tomar as medidas jurídicas necessárias se for preciso,” finaliza a assessoria de imprensa.

Posicionamento da Riot Games

A Riot Games explicou que a empresa não comenta casos isolados mas que é de praxe da Riot instruir os times a seguir condutas de boas práticas na abordagem de jogadores contratados por outras equipes.

Por essa razão, inclusive, a companhia vai adotar no Circuito Desafiante, a partir de 2018, a mesma regra de antialiciamento vigente no CBLoL,” explicou a assessoria de imprensa da Riot Games

A Política Antialiciamento do CBLOL

No dia 8 de Agosto de 2015, a Riot Games comunicou sobre a Política Antialiciamentoque entraria em vigor na competição brasileira. Porém, as regras são válidas apenas para as equipes que participam do CBLOL.

  • Nenhum membro de organização pode entrar em contato direto com jogadores sob contrato com outras organizações.
  • De maneira similar, nenhum jogador sob contrato pode contatar diretamente membros de outras organizações.
  • Jogadores e organizações que desrespeitarem esta política estão sujeitos a penalidades.
  • Organizações interessadas em negociar jogadores sob contrato devem procurar primeiro a gerência da organização atual deste.
  • Jogadores sem contrato são livres para procurar potenciais empregadores e vice-versa.

Recentemente, no dia 21 de Novembro, a Riot Games informou que a partir de 2018 as Políticas Antialiciamento cobrirão o Circuito Desafiante e não apenas o CBLOL.

Loading...