A final que todos nós esperávamos acontecerá em Florianópolis, dia 18 de abril. Com a queda da paiN diante da emergêcia da INTZ com Revolta como canditato de MVP, o duelo de INTZ e Keyd terá sua primeira melhor de cinco valendo a temporada e a chance de disputar uma vaga no MSI no International Wildcard.

Os últimos confrontos entre as duas equipes, sem dúvida, mostraram que a INTZ leva uma vantagem nessa final, pois mesmo os números apontando 2×1 para INTZ, a vitória da Keyd veio em um jogo onde a INTZ dominava desde cedo, porém, em uma luta no lategame, a Keyd consegue uma virada incrível. É incrivelmente arriscado apostar e tentar prever qualquer coisa para essa final, mas, pretendo assumir o risco para analisar e prever o que podemos ter nessa final tão aguardada.

INTZ 

  • Yang
  • Revolta
  • tockers
  • MicaO
  • Jockster

INTZ

Antiga UNITED, um time que sempre esteve na tier 2~3 do cenário competitivo brasileiro surge como favorito ao título essa temporada. Indiscutivelmente, muito do sucesso da INTZ se atribui as boas atuações do Revolta. Embora discorde radicalmente de que ele é a melhor contratação do ocidente, como afirmam alguns casters do CBLoL, ele é sim parte fundamental do crescimento da INTZ.

Muito crucificado (muitas vezes injustamente) pela comunidade pela atuação fraca na CNB e pelos constantes erros de smite, Revolta deu a volta. Hoje é apontado como o melhor jogador do campeonato até então, com ótima atuação e sinergia com tockers e Jockster, o impacto que o Revolta causa nos jogos tem sido fundamental para as vantagens que a INTZ adquire no mid-early game. Em sua champion pool, destaque para Nidalee, Jarvan e Lee Sin, com forte impacto no midgame, bom controle de objetivos e ganks em lanes onde o time precisa conquistar uma vantagem pela sua composição.

Com as mudanças no meta, é interessante saber qual será a reação da INTZ. Revolta não tem jogado com junglers tank essa temporada, e MicaO tem se destacado com Corki, Ezreal e Graves, ADCarries que pouco fazem contra alvos mais tanks que tem surgido no patch 5.6 Jockster tem se destacado com Leona e Thresh, ótimos para engage, mas não muito fortes para parar o Hecarim ou o Jax do Mylon ou algum assassino que o Takeshi possa trazer para o jogo. Jockster possivelmente irá ter que reduzir seu impacto nas jogadas feitas em conjunto com o Revolta e o tockers para fornecer mais proteção ao MicaO.  Com apenas um jogo com Morgana essa temporada, Jockster com esse champion pode ser um diferencial nessa melhor de 5, devido sua versatilidade em picks, teamfight e proteção.

É importante ressaltar um ponto sobre a Champion Pool do Revolta: Lee, J4 e Rek’sai, seus mais jogados são junglers lutadores em um meta de tanks. Além de alguns não funcionarem tão bem com o novo encantamento, picks como Sejuani, Gragas e Nunu agora estão no topo do meta, champions que precisam de certo tempo para chegarem a resistencia necessária pra tankar em lutas, o que impacta diretamente o forte early-midgame da INTZ. A INTZ não deve ter muitos problemas em lane sem a pressão do Revolta, porém, a maior força da INTZ essa temporada foi seu forte early-midgame, e perder essa força pode custar muito ao time. A habilidade de Revolta será posta em prova nessa final. Times como a TiP, da LCS Americana tem mostrado que ainda é possível ter forte impacto da jungle nas lanes. Resta saber como será a preparação do Revolta para essa partida.

Embora haja dúvida sobre como se adaptarão no meta Revolta, Jockster e MicaO, a INTZ pode dormir tranquila com tockers e Yang. Sem dúvida top 2 em suas posições, a variedade estratégica que os dois dão a INTZ é um dos pontos mais fortes em relação a Keyd que a INTZ tem. Yang desde o começo da temporada tem jogado com que há de mais forte no meta, e tem constantemente feito ótimos jogos com diversos champions em diversas funções. Tockers e seu Azir ainda estão nos pesadelos da paiN, porém, além de outros champions “Protect the King”, como Xerath e Syndra, tockers pode jogar de assassinos extremamente dependentes de jogadas como Kassadin e Zed no mesmo nível. Tockers e Yang dividem muitos picks parecidos, e podem desempenhar funções parecidas, como é mostrado nas vitórias contra a Keyd, onde em cada um dos jogos um desempenhou a função de splitpush, estratégia que deu a INTZ a vantagem nos confrontos contra a Keyd até então. A INTZ pode aparentar ter problemas em adaptar-se no meta para a final, porém, a variadade de táticas que seu elenco proporciona é o ponto forte do time na final do CBLoL. Florianópolis será a chance da INTZ firmar-se como o melhor time do Brasil, e será a chance dos jogadores mostrarem seu talento, com destaque ao Revolta, que teve um ano de 2014 tão questionado.

 Keyd

  • Mylon
  • Daydream
  • Takeshi
  • Emperor
  • Loop

Keyd-2

Keyd é um time surpreendente, de certo modo. Com 2 idiomas diferentes, a Keyd consegue ter um equilíbrio perfeito entre todos os elementos do jogo, e se sobresair em alguns, além de ter muito potencial guardado para esse combate final contra a INTZ. Assim como a INTZ, o time tem ótimo entrosamento nas rotações de earlygame entre Suporte em Jungle, mesmo os dois tendo a barreira de idioma. A Keyd também é um dos melhores times em targetcalling em teamfights, e muitas das suas composições nessa temporada tem sido voltadas para picos de poder e burst. Embora apresente sucesso, a Keyd sofre de uma fraca variedade estratégica, e isso pode ser o ponto chave para a vitória da INTZ.

A Keyd tem jogado da mesma maneira quase todos os jogos, e é incrível o sucesso que eles tem tido com essa mesma maneira de jogar. Composições de engage e forte dano na linha de trás são sua especialidade, porém, com a mudança do meta, percebe-se que essa composição não é mais tão forte quanto foi toda a fase de grupos, e caso a Keyd não adapte,  a INTZ é um time fantástico em ganhar jogos a partir de pequenas vantagens do early game.

O problema das composições da Keyd é que embora um forte burst com Rumble e Graves é que além de um time como a INTZ ser ótimo em se adaptar contra uma situação na qual foi imposta a eles milhões de vezes, no meta atual é possível jogar com uma tonelada de tanks que vão sobreviver a esse engage a partir dos 30 minutos de jogo, além da INTZ ter se mostrado muito eficiente no splitpush. A Keyd não mostrou NADA de diferente essa temporada. A champion pool do Emperor é de Atiradores com forte utilidade em teamfight como Corki, Graves + Lucian e Sivir. Mylon jogou muitos jogos de Rumble, e quando não pode escolhe-lo, jogou a maioria das vezes com champions capazes de fazer a mesma iniciação forte como Lissandra e Gnar. Loop tem jogado quase sempre de Janna nas primeiras semanas e Annie do meio pra cá, e teve dois jogos de Thresh nas quartas, e é nesses suportes com bom engage que Loop tem se destacado no campeonato, com ótimo jogo de mapa. Daydream tem jogado de Junglers lutadores, que podem sem muito problema se adaptar no meta dos junglers tanks como J4 e principalmente Rek’sai, e nas semis ele já trouxe a Sejuani, que possivelmente será um dos picks mais disputados na Final. Por fim, Takeshi jogou 7 campeões diferentes, praticamente 1 para cada time que enfrentou no CB LoL até então. Difícil de prever o que o Takeshi pode trazer para a final, pois além de ter uma grande champion pool, Takeshi pode claramente carregar jogos com os champions certos.

Caso a Keyd possa adaptar-se, ela representa um enorme perigo a INTZ. É certo que qualquer jogador da Keyd pode carregar o time na final, de diversas maneiras. A Keyd tem inúmeras maneiras de jogar essa final, pois no papel, os jogadores da Keyd são carregadores em potencial. A experiência em jogos de alto nível pode ser o fator determinante a favor da Keyd, além do enorme ponto de interrogação que é a variedade estratégica desse time. O time foi extremamente unidimensional até aqui, porém, não precisou mostrar nada demais para chegar até Florianópolis. É difícil dizer o que a Keyd vai escolher, o que a Keyd vai banir ou o como ela vai jogar. Muito tem se especulado sobre as coisas que a Keyd tem usado nos treinos, e houve MUITO tempo para se adaptar planejar qualquer coisa para a final. A Keyd tem um bom coach e um ótimo shoutcaller, porém, a comunicação é sempre um problema em potencial.

 

O CONFRONTO

INTZ vs Keyd

Com toda a analise feita, minha aposta é 3×1 INTZ. Embora ache que a Keyd pode surpreender de inumeras maneiras, a consistência da INTZ até então é inquestionável. A INTZ tem draft e variedade estratégica superiores aos do time da Keyd, além de uma enorme disciplina estratégica e melhor comunicação baseado nos jogos até então. Ambos os times tem fraquezas expostas, porém as fraquezas da Keyd são fortes demais e favoraveis demais à INTZ. A Keyd pode surpreender, e a INTZ pode ou não ter a resposta. Com o que foi apresentado até então, eu fico com a INTZ.

Qual é a sua previsão para a final? Qual seu palpite? Comente!

Caso queira acompanhar meus comentários sobre a final e sobre o competitivo, me siga no twitter @L_ira.