Conversamos com Gabriel “Revolta” Henud após a primeira derrota da história do Exodia em uma série contra outra equipe brasileira. Confira:

Se inscreva no canal do Mais e-Sports e não perca os próximos vídeos:

Qual foi o principal motivo para essa derrota?

“Sinto que não jogamos como um conjunto hoje. Foi um dia muito off de nós. Tanto individualmente como em grupo. Todos jogamos mal. Sinto que isso vem de nossa preparação, que não foi muito boa. Uma hora isso iria acontecer, iríamos errar em algum momento e acho que este é o momento certo para errar. Estamos ainda bem no começo. Reconhecemos muitos erros e vamos nos ajeitar! Acredito que isso vai acontecer mais frequentemente com a gente. As pessoas não estão acostumadas, mas o cenário mudou muito e hoje temos pessoas mais qualificadas para bater de frente. Esse CBLoL está realmente muito difícil.”

Vocês tiveram algum tipo de salto alto para a série?

“Não acredito que tenha tido salto alto pois estamos encarando como um time novo. Estamos abertos para tudo isso. Já falei em diversas entrevistas que invencibilidade não é algo que estamos contanto. Uma hora isso iria acontecer, sabe? Podia ser esse ano, ano que vem, hoje ou amanhã. Se a SKT perde, por que a gente não pode também? (risos)”

Você sentiu que o time teve performances individuais e mecânicas bem abaixo?

“Não sei dizer o porquê da gente ter tido um jogo tão ruim assim. Estrategicamente foi ruim, picks e bans foram ruins, mecânica foi ruim. Não sei qual fator fez a gente ter isso. Estamos tentando descobrir ainda… Se descobrir me fala (risos). Mas acho que foi muito da preparação mesmo. Não nos preparamos tão bem. A gente não encarou a nossa preparação como algo que a gente estava encarando antes sabe? Isso pesou bastante.”

Vocês ficaram relaxados após a vitória fácil contra a INTZ na semana 1?

“É difícil falar de relaxamento com esse time porque a gente é muito chato. Eu sinto que nós não relaxamos. A gente jogou realmente mal. Isso acontece com todo mundo. Já tiveram jogos em que dois ou três jogadores jogaram mal mas a gente venceu e isso não ficava tão evidente para as pessoas. Sabe? Venceu… é o Exodia, ganhou.

No jogo contra a INTZ eu já tinha sentido que algumas performances não tinham sido tão boas, mas agora ficou mais evidente. Não teve relaxamento. Acho que é algo que já estava vindo mas não identificamos a tempo.”

A ProGaming identificou erros que nem vocês sabiam?

“Tiveram muitos erros que eles aproveitaram, sim. Então isso foi muito mérito deles. Eu sinto que os times estão querendo jogar contra a gente e não ganhar o CBLoL. O que é muito interessante… Porque a ProGaming comemorou muito! Parecia que eles tinham levantado a taça. O que é engraçado, até. Eu acho que a gente tem que se preparar mais do que antes, sabe? Por isso eu acho que a nossa preparação não está sendo suficiente. Todos os times estão querendo jogar contra a gente.

Todos falam em entrevista que querem vencer a Keyd. Então a gente tem que se preparar o triplo, o quádruplo para todos os jogos a partir de agora.”

Essa derrota foi “boa” para vocês evoluírem e serem campeões novamente?

“Todo mundo teve derrota em times separados. Eu gostei de sentir essa derrota em conjunto. Porque eu gostei de ver a atitude de todo mundo. Ficamos tristes, ficamos chateados. Mas chegou lá e falamos o que cada um achava que o outro fez de errado, o que nós erramos. Você não vai ganhar sempre.

Quando você perde e tem uma performance ruim você descobre que tá indo para o caminho errado. Então eu acho que esse foi o indicador que nós precisávamos.”

Acredita que a ProGaming é um dos melhores times do CBLoL?

“Eu não colocaria a ProGaming como o terceiro melhor time do CBLoL. Eu acho que eu preciso ver eles jogando mais contra outros times. Acho que no geral eles têm diversas falhas mas eles se preparam muito para um time em específico.

Então eu sinto que se esse time que a ProGaming está se preparando, mudar… eles vão cair feio. Eu acho que esse tipo de coisa que eles estão fazendo, se eles não mudarem agora, os times vão começar a perceber e aí vamos ver realmente o quão forte a ProGaming é.”

Quem seriam os três mais fortes?

“Para mim o top 3 permanece a gente, RED e INTZ. INTZ e Team One são sempre umas incógnitas muito grande. Eu acreditava muito que eles iriam vencer a Team One, acabou que a Team One ganhou em uma clown fiesta enorme. Mas para mim fica entre esses.

Top 3 na minha concepção não é mais como era antes. Acho que todos os times estão muito próximos um dos outros, então você ser top 3 não tem uma diferença tão grande mais.”

Acompanhe a tabela, datas e horários dos jogos e tudo mais do CBLOL na Cobertura do Mais e-Sports.

 *Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.