A Kaos Latin Gamers fechou o primeiro dia de MSI com um saldo positivo. Foram duas vitórias e apenas uma derrota, e assim seguem vivos na luta pela classificação para a proóxima etapa da competição. O Mais e-Sports conversou com Sebastián “Tierwulf” Andrés, caçador da equipe, no final do primeiro dia da competição. Confira:

Pergunta: Como você está se sentindo?

Tierwulf: Eu estou bem feliz cara, feliz por ter ganhado dois jogos mas triste por ter perdido para a Gambit. Eu acho que a gente fez muitas coisas erradas, entramos com medo de justamente fazer essas coisas erradas e eu acho que nós temos que entrar com confiança., jogar nosso jogo que vamos passar por cima.

P: Essa foi a primeira vitória da KLG em cima de um time da Rainbow7 desde 2015. Como você está se sentindo sendo o novo reino do Latan?

T: É porque eu estava jogando no Brasil, eu voltei e ai o pai chegou, é fácil.

P: Então o bootcamp no Brasil é o melhor que tem?

T: Com certeza, os fãs, os ratos, comida, tudo para ficar de boa!

P: Falando um pouco de coisas mais sérias, vocês tiveram partidas muito boas hoje, principalmente na sinergia entre Mid e Jungler, porém isso não deu muito certo no primeiro jogo (contra a Gambit)  mas agora principalmente com o pick de Olaf contra a R7, vocês conseguiram executar bem. O que aconteceu do primeiro jogo para os outros que vocês conseguiram acertar a sinergia entre você e o Plugo e assim conseguir executar bem a estratégia.

T: O nosso maior problema é a confiança, quando nos achamos melhor nós passamos por cima, isso já começa logo no draft. Se eu falo para o cara pegar Camille que ele vai stompar seu inimigo e ele fala “eu vou eu vou ganhar” então nós vamos ganhar certeza. Agora se está em uma situação onde eu falo “cara com o que você vai jogar contra a Camille?” e o cara já responde meio que “a sei lá ainda não sei muito bem” isso acaba passando para todos. Então quando entramos com confiança para executar nosso estilo, chegar na frente, brigar no momento certo ai a gente ganha, mas quando entramos para jogar contra a Gambit, foi a mesma coisa que aconteceu na final da nossa região, nós entramos sem muita confiança, ficamos esperando erros deles e fizemos algumas coisas erradas já no draft, então nós temos que entrar com essa mentalidade de predador, ir pra cima e ganhar.

P: No jogo contra a R7 você foi invadido logo nas Acuaminas, o que aconteceu lá? Você foi pego meio de surpresa?  

T: Foram duas coisas, eu achei que ele ia inverter os lados porque era melhor pra ele jogar para a Leona, então ele fez uma coisa que eu não esperava porque eu achava que era uma ideia lixo, tínhamos Swain, Anivia, então nosso top iria sair mais rápido. Ele passou pela ward eu pedi para o Plugo wardar o bot side, ai eu vi ele e achei que o Plugo também tinha visto então pensei “vou fazer as galinhas e fechamos ele, dois versus um nós ganhamos a luta”, só que quando eu percebi ele já estava lá e ai eu fiquei meio confuso e pensei “tá estou morto”. Mas depois eu pensei: Eu dei Flash e ele também deu flash atrás, e com isso eles tinha um Swain no Top contra Ornn, eles precisavam dar dive só que como ele não tinha flash eles não conseguiriam fazer isso, no bot eles tinham Leona contra Rakan e Xayah, então eles precisavam muito ganhar cedo no jogo, e ele sem flash não conseguiria fazer nada porque caso tomasse um conter gank ele iria morrer. Então a decisão dele de me invadir e gastar o Flash no começo acabou sendo nossa win condition e a partir daquele momento eu já sabia que iriamos ganhar.

P: Você quem está sendo o shotcaller na equipe? Como está sendo esse processo? Porque o top laner de vocês é novo e inexperiente mas o resto do time já está um tempo junto, então como está a moral do time, depois da primeira derrota contra a Gambit e agora depois dessa partida da Ranbow7? Você quem está mantendo a galera pra cima ou eles estão animados depois dessa partida contra a R7?

T: Nós sempre ficamos felizes, chegamos para ganhar e a mentalidade quando chega na hora é sempre pra frente. Eu sou o shotcaller dentro do time, mas no começo quando estávamos com o Mantarraya eu focava mais no micro do time, como por exemplo “agora você vai voltar para a base, depois vai fazer isso e isso”, depois que jogamos juntos e fomos par a China nós aprendemos jogar, então hoje eu mudei nesse aspecto, agora eu pego informação para o meu time e trabalhar em cima disso.  Mesmo com o Nate que não é muito experiente, nós trabalhamos muito nele e eu que ensino tudo, trabalhei com ele desde a base até agora, então por isso decidimos pegar alguém “novato” porque ai conseguimos trabalhar ele desde o começo já de acordo com o nosso time, o que é mais fácil comparando a um jogador que já sabe como se joga e o que tem que fazer.

P: Eu (Puppet) lembro quando trabalhamos juntos na KLG você queria jogar suas ideias mas o time nem sempre deu certo, nem sempre estavam alinhados nisso. Você acha que essa KLG é a melhor que você já jogou? Talvez até o melhor time que você já jogou na sua carreira?   

T: Eu acho que sim. Nesse momento é o melhor time porque estão todos focados na mesma ideia, então quando você tem um time que tem uma mesma ideia e trabalha junto para buscar soluções, então você vai ganhar tudo e é isso que está acontecendo, ganhamos no LAS duas vezes seguidas e acho que vamos conseguir ir para a Coreia (Mundial).

P: Como estão os treinos de vocês? Você acha que com a experiência que vocês tiveram ano passado no Mundial e com essa experiência agora no MSI, vocês estão conseguindo levar coisas para a região de modo que ela cresça?

T: Nós estamos aprendendo muito porque nós não nos achamos melhores que ninguém, marcamos treinos com muitos times, mas outros times nos acharam fracos, e a gente pegou o melhor desses times e usamos para melhorar o nosso time. Eu acho o problema de muitos times é o ego que eles tem, eu posso falar que eu sou o melhor porque eu sou muito confiante, mas eu sou muito focado em coisas que posso melhorar e nas coisas boas de outros times que eu consigo pegar. Eu uso a minha confiança para trabalhar nosso time, meus companheiros de equipes  e nossa mentalidade. Muitos times acham outros fracos e por isso não treinam com eles, mas eu acho que tem coisas boas em todos que sempre pode ser aproveitado, às vezes o pior time do campeonato tem algum pick, alguma maneira de jogar ou coisas do tipo que você não sabia e que pode aproveitar também, então eu acho que os times não focam nisso, eles só chegam e falam “eu ganhei desse time em 15 minutos então o time é ruim”, mas nesses 15 minutos ele poderia fazer alguma coisa, algum gank que você não esperava, e assim pegar isso como aprendizado e melhorar mais ainda.

P: Você tem algum recado para deixar para todos seus fãs brasileiros?

T: Eu tenho muitas saudades dos meus fãs do Brasil, eu queria muito fazer alguma streams em português, melhorar isso, eu gostei muito da minha estádia no país, a Riot Games Brasil é muito boa, meus fãs meu time, então foi um período muito importante da minha vida e espero que o cenário cresça muito e tenha muito sucesso.

Entrevista feita em parceria com DrPuppet, siga ele no Twitter e confira mais novidades em seu canal do Youtube.

Você pode acompanhar a cobertura completa do MSI 2018, com tabelas, calendário de jogos, replays das partidas, formato e muito mais aqui no Mais e-Sports.