ProGaming e CNB se enfrentaram no primeiro confronto da escalada do CBLoL 2018. Em uma série muito disputada que só foi ser decidida no quinto e ultimo jogo, os blumers acabaram levando a melhor e conseguindo a classificação para a próxima etapa. Conversamos com o treinador da PRG, Thiago “Djoko” Maia, que falou um pouco sobre a frustração da derrota, drafts da equipe entre outras coisas.

Como você está se sentindo depois de perder uma série tão acirrada?

Djoko: Muito triste mas ao mesmo tempo confuso porque foi uma série que foi perdida de um jeito muito traumático, muito diferente de tudo que eu já tinha vivido no e-Sport até hoje, então foi diferente de um jeito negativo e nós estamos digerindo ainda essa derrota.

Você já conseguiu encontrar onde vocês erraram para perder o último jogo?

D: Se serve de consolo nós perdemos como um time, acredito que como um time nós encaixamos mal as últimas lutas e últimas execuções, então os pequenos erros e pequenos detalhes são o que definem uma vitória ou uma derrota, mesmo com 10 ou 20 mil de ouro a frente.É inadmissível um time perder com tanta vantagem, eu nunca estive em um time que perdeu assim em algum jogo muito importante mas acredito que os erros foram generalizados, não foi uma pessoa ou duas foi realmente o time não sabendo se portar de forma competitiva com vantagem.

A torcida no estúdio influenciou vocês de alguma forma?

D: Eu pelo menos não senti nenhum tipo de influência, talvez tenha impactado positivamente a CNB mas em relação a PRG eu realmente não senti, se eu senti foi de forma positiva também mas eu ainda não perguntei pra eles sobre, mas eu exalto a torcida, é muito legal jogar com a torcida lá em baixo da um clima totalmente diferente pra tudo.

A torcida lotou o estúdio da Riot Games e puxava gritos em apoio a CNB a todo momento.                       Foto: Riot Games

Nas últimas séries vocês trouxeram o Lynkez e o BocaJR ,as nessa série optaram por jogar com a mesma formação nos cinco jogos, porque dessa vez você preferiu não fazer substituições?

D: A abordagem para o jogo contra a CNB era completamente diferente, sabíamos esses cinco jogadores que jogaram hoje era quem tínhamos que trabalhar e as coisas que tínhamos que melhorar eram coisas que trocar jogadores iria fazer com que isso acontecesse de forma devagar ou até pudesse atrapalhar, então preferimos manter uma formação única, jogar com ela no decorrer da semana e corrigir os erros e foi o que aconteceu, jogamos melhor do que antes mas infelizmente não conseguimos a vitória.

E durante essa semana de treinos vocês também analisaram a Vivo Keyd ou focaram apenas na CNB?

D: Nos preparamos principalmente contra a CNB mas já tínhamos planos traçados contra a Keyd, mas realmente o nosso foco maior foi para jogar contra a CNB.

Agora falando um pouco sobre o draft, como o Jhin encaixava na composição que vocês montaram para a terceira partida?

D: Tanto o Jhin como a Syndra são dois carrys que precisam de vantagem cedo e eles tem mecânicas para isso, então a ideia era armar jogadas na rota inferior, infelizmente por uma questão de comunicação e elos não estarem se encaixando a gente acabou criando jogadas na parte de baixo do mapa embora tivéssemos certas vantagens momentâneas por lá. Tem que destacar também a atuação do Robo que estava muito presente no mapa, ele meio que atrapalhava as poucas janelas que tínhamos por sempre estar presente no bot, então realmente não conseguimos fazer rodar uma composição que treinamos bastante, o Jhin não pegou vantagem e assim não conseguiu snowbalar o jogo.

No último jogo vocês montaram uma composição com bastante controle de grupo e isso assegurou um early/mid-game totalmente dominante mas ainda sim vocês acabaram não conseguindo fechar a partida. Qual era a ideia por trás daquele draft e qual foi o erro para que vocês deixassem a CNB voltar para o jogo?

D: O draft do último jogo era realmente um wombo combo alucinante com diversas formas de iniciação, o que era muito bom contra a Lulu porque ela não tinha o que fazer por causa da ult da Ashe, ult do Ornn e etc. O maior erro desse draft foi que nós não tínhamos tanto dano no late game e era preciso que a Taliyah usasse sua ult de forma criativa e o time não conseguiu usar isso tão bem, não conseguiu combar muito bem suas ults o que fez com que o Azir ficasse bem livre pra causar dano nas lutas.

Agora o que a ProGaming está esperando daqui pra frente?

D: Nós esperamos adversários muito competentes na série de promoção já que todos estarão jogando pela vida e querem se manter no CBLoL para corrigir seus erros, então eu espero dos adversários muita competência e seriedade e mais ainda do meu time, através do trabalho e esforço nós chegamos aqui e através deles nós vamos nos reerguer.

Agora a ProGaming jogará a série de promoção contra a INTZ no dia 14 de abril. Você pode acompanhar a cobertura completa do CBLoL 2018 aqui no Mais e-Sports.

*Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.