A RED Canids Corinthians venceu a Vivo Keyd no último sábado (24) e assim emplacou sua quarta vitória no CBLoL 2018, ocupando a segunda posição na tabela. Após a vitória, conversamos com Victor “Cabu” Oliveira, suporte da matilha. Confira:

Como você avalia sua evolução individualmente nesse CBLoL?

Cabu: A minha evolução individualmente tem uma ajuda muito grande do Sacy, ele me ajuda muito e pega muito no meu pé, se eu erro alguma coisa ele bota muita pressão, você não tem noção, então ele me ajuda muito nessa questão de evoluir e eu acho que individualmente eu já não era tão ruim assim, eu tinha minhas qualidades e o Sacy está me ajudando a cada vez mais a melhorá-las.

No que ele “pega no seu pé” e te ajuda?

Cabu: Tipo erros que acontecem na lane phase, de eu fazer uma coisa e ele achar que devia fazer outra, porque normalmente quando você joga na bot lane, o ADC sabe o que o suporte tem de fazer pra ganhar e vice-versa. Então se eu erro uma coisa, ele fala “olha, você errou aqui, presta atenção e não faz mais isso”, ele pega no meu pé mesmo e eu tenho que botar isso na cabeça para não errar mais para o próximo jogo.

Cabu foi o MVP das duas partidas da série contra a Vivo Keyd.           Foto: Riot Games

Como está sendo a evolução de todo o time com os coreanos? Como eles te ajudam e como está sendo a dinâmica com eles? 

Cabu: Agora, com a tradutora, eles estão ajudando cada vez mais, porque tudo o que falam a gente sabe, ela traduz tudo pra gente, então qualquer coisa de macro que eles aprenderam lá na Coreia e trouxeram pra gente, ou alguma coisa que eles pensam, qualquer coisa, nós vamos saber. Com certeza a tradutora foi essencial para a nossa evolução. Outro ponto é que agora a gente está trabalhando mais como um time, envolvendo os jogadores, porque antes a gente tinha dois coachs que não estavam indo muito bem, então a RED como um todo preferiu tirá-los. Agora entrou o Galfi, que já era muito amigo nosso, entendia muito do jogo, já era perto da gente e estudava o jogo com a gente, então isso foi uma crescente muito absurda, na minha opinião. Com isso, o Winged e Sky se sentiram mais livres para falar as suas ideias, o que eles pensam, então a adição do Galfi e de uma tradutora foi muito importante para a nossa evolução.

Agora vocês anunciaram o Galfi como treinador principal da equipe, o que ele está agregando à equipe em comparação a comissão técnica antiga e também ao período que vocês ficaram sem técnico? 

Cabu: Na minha opinião, o Galfi é um dos técnicos mais empenhados com quem eu já trabalhei. Se a gente falar “Galfi, a gente vai jogar contra tal time”, a primeira coisa que ele vai fazer nas próximas horas é consumir todo o material possível desse time e entregar pra gente tudo o que o time faz, o que eles focam em séries e o que a gente tem de fazer para ganhar deles. Um exemplo é as últimas duas séries contra a Team oNe e contra a Vivo Keyd. Ele assistiu todos os jogos das duas equipes e trouxe todo o plano de jogo pra gente, só aplicamos isso como um time e melhoramos algumas ideias, então, na minha opinião, ele é um cara muito empenhado e tem uma grande evolução pela frente, eu estou gostando muito dele como treinador.

Quais foram os pontos mais fortes da série para garantir essa vitória de vocês?

Cabu: Acho que foi nosso foco, entramos com um foco de fazer uma composição de team fight e eles meio que subestimaram isso, não baniram nosso Galio que estava bem forte na série, então estávamos com o foco de fazer uma composição de TF e eles não baniram, continuamos nisso e deu muito certo. Eles não conseguiram lutar e estavam tentando fazer 1-3-3, mas se temos uma composição de TF e eles não conseguem fazer isso, a gente só agrupa mid, então eles meio que subestimaram a gente achando que 1-3-1 ia resolver, entramos muito confiantes para essa série e acho eu que eles subestimaram não banindo certos heróis.

A Vivo Keyd vinha em uma boa fase no CBLoL 2018 e vocês venceram a série em um 2-0 totalmente dominante. Quais os principais erros que a Keyd cometeu nessa série contra vocês?

Cabu: Eu acho que os maiores erros estavam no draft, na minha opinião, pelo fato de eles terem subestimado nossa composição de team fight, já tínhamos usado esse estilo contra a Team oNe e usamos quase a mesma coisa contra eles. Tudo bem que eles baniram o Zac, mas o Galio é essencial para essa composição, além disso, a lane phase deles estava meio fraca, eles não jogaram tão bem e acho que isso fez eles perderem o jogo.

Como foi jogar contra o micao e o Jockster e o que vocês fizeram para conseguir anulá-los na série?

Cabu: Eles tinham muito potencial de ter pressão na lane e jogaram meio que só farmando. Nós jogamos muito agressivos, fomos pra cima e não queríamos só chegar e ficar farmando, queríamos botar pressão na lane sempre e pegar visão, colocá-los embaixo da torre sempre e isso deu muito certo. Agora, porque eles só aceitaram isso, eu não sei, mas chegamos com a mentalidade de botar bastante pressão e subir para ajudar nosso mid, o que deu certo.

Agora a RED Canids Corinthians joga contra a INTZ, no dia 3 de março. Você pode acompanhar a cobertura completa do CBLoL 2018 aqui no Mais e-Esports.