Pela primeira vez em sete anos, a Team Solomid (TSM) não se classificou para o Mundial de League of Legends. Os representantes da LCS NA no campeonato mais importante da modalidade em 2018 foram a Team Liquid, 100 Thieves e Cloud9. Durante a fase de grupos do Mundial, a Brasil Game Show 2018 estreava no Brasil — e, com ela, uma surpresa para os fãs da equipe.

O mid laner Soren “Bjergsen” Bjerg e o top laner Kevin “Hauntzer” Yarnell foram convidados pela Logitech a participarem da BGS 2018, interagindo com fãs e disputando showmatchs durante a feira. Na ocasião, o Mais e-Sports teve a oportunidade de entrevistar os jogadores.

Bjergsen, um dos maiores jogadores de LoL do ocidente, comentou em entrevista a campanha da TSM em 2018, sua segunda vinda para o Brasil e as expectativas para o Mundial, que acabara de começar. Confira:

É muito legal te ter aqui e é um prazer te entrevistar. Como está sendo vir para o Brasil e entrar em contato com os fãs brasileiros?

Bjergsen: Está sendo bem divertido. Eu cheguei ontem de manhã, então não consegui ver muitas coisas ainda, mas ontem à noite consegui tomar uma caipirinha, que eu achei muito boa. Está sendo bem legal estar com os fãs aqui no evento, também.

E você nunca tinha tomado caipirinha aqui?

Bjergsen: Eu tinha tomado uma no ano passado, sim. Tomei uma. Ela é bem forte, aqui, mas é realmente boa.

E você está curtindo a BGS?

Bjergsen: Sim! Ela é muito maior do que eu tinha imaginado. Eu não sabia muito sobre a feira antes de vir, e tem muita gente e muitos estandes grandes e muitas coisas pra ver. É muito mais do que eu esperava, tem muita gente e muitos fãs. Está sendo incrível.

Você sabe alguma coisa sobre o cenário competitivo brasileiro?

Bjergsen: Eu não sei muita coisa, porque são muitas ligas e é difícil acompanhar todas elas. Eu assisto as streams, às vezes, quando vejo online na Twitch, mas eu não sou tão envolvido.

Mas você conhece algum jogador do CBLOL?

Bjergsen: Eu conheço os mais famosos, como o Kami e o brTT, que eu conheci no Mundial de 2015, e eu conversei um pouco com eles no carro voltando para o hotel… eles são caras bem legais.

Você sabe algo sobre a gameplay deles?

Bjergsen: Eu vi o Kami jogando de Katarina, e ele é realmente muito bom. Já vi algumas pessoas chamando-o de Faker brasileiro, e eu sou o Faker NA, então nós temos isso em comum.

Este ano, a TSM não se classificou para o Mundial. É menos triste que vocês não tenham se classificado considerando que vocês vieram para o Brasil?

Bjergsen: Sim. Se eu fosse ao Mundial, eu não estaria aqui, então é ótimo que eu tive o convite. É muito triste que não conseguimos nos classificar… No geral, a temporada não foi tão boa quanto eu queria que fosse. Eu não joguei a final, não venci a série de acesso ao Mundial… Mas, às vezes você tem que perder, e eu vou tentar usar isso para ir melhor na próxima temporada.

O que você acredita que foram os problemas da TSM nesse split para que o time não tivesse a melhor campanha?

Bjergsen: Obviamente, envolveu várias coisas pequenas que se transformaram em uma coisa grande, mas pareceu que nós não fomos capazes de… mesmo com a nossa escalação, nós acabamos mudando o Mike[Yeoung], e depois tivemos alguns problemas com a comissão técnica no Summer Split, em que fizemos algumas mudanças… Então nós não fomos capazes de trabalhar com essa escalação, e isso foi um problema. Isso influenciou em como queríamos jogar o jogo, como queríamos treinar, e isso atrapalhou no começo. Foi algo que nos trouxe dificuldade durante a temporada. Ao final da temporada, começamos a melhorar, mas não foi suficiente.

Você pode me falar mais sobre essas coisas pequenas que aconteceram com o time?

Bjergsen: Por exemplo, os patches deixaram o jogo muito louco durante o Summer Split, e era muito imprevisível, com bruisers e magos na bot lane. Tivemos que jogar com muitos mais campeões, e quando tanto nós quanto os inimigos temos que jogar com muitos outros campeões, nenhum dos dois está jogando no nível mais alto, como o usual. Então você não tem tanta prática de trabalho em equipe e macro, porque o foco é em aprender a usar os campeões e os matchups. Então é mais difícil ter progresso.

Então vamos falar um pouco sobre o Mundial. Você está assistindo o campeonato?

Bjergsen: Eu assisti um pouco quando estava nos EUA. O fuso horário é muito ruim, então o jogo começa à uma da manhã, no meio da noite, e vai até de manhã, então eu estava assistindo alguns jogos até ir dormir, porque é difícil ficar acordado a noite inteira assistindo. É divertido assistir. NA não está indo tão bem até agora, mas eu realmente estou gostando de ver a Fnatic jogar, especialmente o Caps. O Rookie também é muito bom.

Sobre o Caps, não tem como evitar falar dele, porque ele é um monstro e está sendo incrível na mecânica nesse Mundial. Você diria que o Caps é atualmente o melhor mid laner do mundo?

Bjergsen: Wow. Eu não quero dizer que ele é o melhor, mas ele definitivamente está lá no topo. Também tem o Rookie, que é muito bom, o Ucal… tem muitos mid laners bons no Mundial, e o Caps definitivamente não é pior do que eles, mas não consigo dizer que ele é melhor, sinto que estão muito próximos. Mas o Caps é louco, ele é um cara louco, quando você joga contra ele, ele nunca tem medo de fazer nada, sempre vai atrás de kills e é muito divertido de jogar contra. Eu aprendi muito com ele.

Você acredita que NA e EU estão sendo bem representados no Mundial este ano?

Bjergsen: Está sendo bem similar aos anos anteriores, não indo tão bem mas também não indo tão mal… Eu realmente espero que alguns times vão longe no campeonato, porque mesmo se o NA perder e o EU passar, eu sou europeu, apesar de jogar no NA, então vou ficar feliz se qualquer time ocidental for bem. Acredito que a Fnatic tem mais chances, mas a G2 também fez jogos impressionantes nesse mundial, o que me deixou bastante surpreso, porque eles não pareciam tão fortes na LCS EU, mas agora parece muito similar.

Vocês tiveram duas séries decisivas contra a Cloud9, sendo uma nos playoffs da LCS NA e outra na série que daria acesso ao Mundial pelo sistema de Championship Points. Depois dessa série, você disse no Twitter que a Cloud9 apenas foi melhor. Você acredita que eles estão representando a região NA no Mundial da melhor forma?

Bjergsen: Quando eles estavam no NA, eles estavam fazendo coisas muito loucas o tempo todo, mas eu acho que quando você vai para o Mundial, todo mundo está treinando um contra o outro há um bom tempo, então a leitura de patch está mais clara quando todos estão jogando as mesmas coisas. No NA, os patches vinham mudando muito, então a Cloud9 era mais rápida em vir com novas e melhores estratégias. Eu acredito que eles estão com uma certa dificuldade em fazer a mesma coisa no Mundial. Mas eu ainda acredito que eles irão bem. Eu acredito nesses caras.

Para terminar de falar sobre o Mundial, quem você acredita que vai ganhar o campeonato?

Bjergsen: Todo mundo diz que muito provavelmente será a RNG ou a KT, acredito que eles parecem os times mais fortes atualmente. Eu quero dizer que a Fnatic irá para a final, mas acho que será difícil, e que os melhores times da China e da Coreia estão bem fortes. Se for para dizer apenas um, é RNG — é a vez do Uzi.

Para terminar a entrevista, você quer deixar uma mensagem para os fãs brasileiros que estão nos assistindo agora?

Bjergsen: Obrigado por terem vindo me assistir aqui na BGS. Está sendo muito legal ver o quanto eu sou querido pelos fãs brasileiros, e os fãs brasileiros são sempre apaixonados, divertidos e loucos, e sempre sorriem, o que eu gosto muito. Eu gosto muito dessa energia, então obrigado.