A Team Vitality chegou como segunda força da Europa e caiu em um grupo bem difícil, com a Royal Never Give Up, a Gen.G e a Cloud9. Mesmo assim os novatos mostraram uma ótima campanha e por pouco não conseguem sua classificação para os playoffs do torneio. Após a eliminação da equipe, o Mais e-Sports conversou com Amadeu “Attila” Carvalho, atirador da equipe que inclusive e português. Confira a entrevista:

Você jogou contra o Uzi, que também é atirador e é reconhecido como o melhor de todos os tempos nessa posição, e você venceu ele!  Como é para você essa sensação de vencer um jogador desse nível?

Quando estávamos jogando contra a RNG tinha uma pressão a mais porque é uma equipe muito forte, mas no decorrer do jogo fomos ficando mais confortáveis e na última luta, quando realmente vimos que estávamos prestes a ganhar, acho que meu coração nunca bateu tão forte, provavelmente foi a melhor vitória que eu tive esse ano e estou muito orgulhoso.

Você jogou de Draven e eu fiquei sabendo que você é muito bom com ele, você gosta muito do campeão?

Eu sempre gostei de aumentar minha habilidade como jogadoror e ter uma champion pool bem grande, além de achar que Draven é um bom atirador e é um atirador que poucas pessoas jogam porque é muito agressivo e você tem que tirar o máximo de proveito disto com ele. A minha equipe é provavelmente a melhor na Europa para jogar agressivamente e sempre foi algo que eu particularmente gostava muito, ser agressivo na lane e mostrar meu talento individual, então valeu a pena jogar com o Draven contra a RNG.

Você acredita que a RNG teve um early game mais fraco e vocês um mais forte, e por isso conseguiram abusar isso?

Eu não diria que eles têm um early game fraco, acho que são uma equipe bem completa e muito agressiva, basicamente qualquer erro que você cometa eles vão castigar bastante. Poucas equipes estavam esperando eu fossemos tão agressivos e tivéssemos um estilo de jogo tão particular e acho que isso foi a principal vantagem que tivemos nesse torneio.

No Brasil temos o brTT que é um jogador muito famoso com o Draven, você conhece ele? Já viu ele jogar?

Eu não sigo o cenário brasileiro, mas conheço o brTT sim, sei que ele já foi para um Mundial e pela situação que eles estavam (time de Wildcard) eu acho que o Brasil é região bastante recente para ser IWC e para melhorar tem que jogar contra regiões mais fortes como Europa, China, Coreia. Mas eu conheço bastante ele, é um cara bastante famoso, tem uma personalidade bastante típica e agrega bastante como jogador e como pessoa, ele tem sua própria marca de roupas então acho que soube planejar sua vida muito bem.

Vocês venceram os dois jogos da Gen.G, venceram um jogo da RNG e a Cloud9 também foi muito bem nesse grupo. No grupo A a Afreeca Freecs está indo mal e tem chances de nem conseguir a classificação*. Você acredita que a diferença entre as regiões está realmente diminuindo?

*Na data em que essa entrevista foi realizada, a Afreeca Freecs estava 1-2 em seu grupo.

A Gen.G é uma line-up que está junta a bastante tempo então se algo não funcionam eles não conseguem melhorar muito, esse time já está junto há três anos, onde chegaram na final mundial duas vezes, levando uma para o quinto jogo e na outra ganhando da SKT, fazendo um dos maiores upsets da história. É normal também os jogadores que ganham quase tudo tenham pouco tempo que o desgaste é uma cena real nos Esports, o que não é o caso da Kt, por exemplo, que é uma das equipes cotadas para vencer o Mundial e é uma equipe assustadora, no caso da Afreeca Freecs  acho que eles tem problemas internos e isso está claro, é uma equipe muito boa e uma das mais fortes da Coreia, então caso não se classifiquem eu não diria que essa diferença entre regiões está diminuindo mas sim que as equipes que foram para o Mundial tinham problemas e não souberam se planejar bem para não deixar que isso as afetasse.

O quão importante foi para vocês vencerem a Gen.G levando em conta que o Ruler também é um dos melhores atiradores do mundo?

O Ruler e o Uzi são os melhores do mundo em suas posições então foi muito bom porque eu consegui jogar contra eles, ter essa experiência e conseguir bons resultados. Eu mentiria se falasse que não esperava bons resultados porque confio bastante em mim e na minha equipe mas eu não esperava que fosse ser tão difícil assim jogar contra eles, foram partidas muito apertadas.

Com toda essa experiência do Mundial o que você aprendeu? Qual a lição que você vai levar para casa para voltar mais forte ano que vem?

O melhor que tiramos disso tudo é a experiência porque somos jogadores que entramos na LCS e não tínhamos experiência nenhuma, e dos cinco jogadores da nossa equipe nenhum nunca participou de algum mundial, então não tínhamos experiência internacional e mesmo assim acho que nos saímos muito bem. Então vamos pegar toda essa prática que tivemos contra equipes da China, Coreia, Na, Taiwan, todos os estilos de jogo e tirar o melhor de cada um e isso vai nos ajudar bastante para a temporada 2019. Foi uma ótima experiência vir ao Mundial, mas eu não estou satisfeito.

Quem você acha que vai ganhar esse Mundial? Você acha que as equipes europeias (G2 e Fnatic) possam ir bem?

Eu diria que a RNG e a KT Rolster são os grandes favoritos e as equipes mais fortes da competição mas eu estou torcendo para a RNG porque caso vençam pelo menos eu posso dizer que a melhor equipe do mundo estava no meu grupo.  A Fnatic é a melhor equipe da Europa mas ainda sim eu acho que eles vão ter que sofrer muito porque podem jogar contra uma KT ou RNG, mas mesmo sem muitas probabilidades de ganhar eu espero que eles deem seu melhor e cheguem o mais longe possível, mas acho que uma equipe europeia ganhar o Mundial é algo bem inusitado.

Você pode conferir a cobertura completa do Mundial 2018 aqui no Mais e-sports.