Junto ao lançamento do jogo, a Respawn Entertaiment, desenvolvedora do jogo, publicou uma sinopse de cada personagem em seu site oficial. Vasculhando um pouco a lore, jogadores perceberam que Apex Legends possui personagens LGBTQ+.

Um deles é Bloodhound, que não se identifica com nenhum gênero, sendo uma humana não-binária. Quem confirmou isso foi o gerente de comunidade da Respawn, Jay Frechette, em entrevista a RPS. Segundo ele: “Nosso estúdio é comprometido com um diverso grupo de pessoas, os modo de jogar o battle royale é comprometido com um grupo de diversidades. Ter um casting diverso é super importante. Você quer que todos tenham alguém para que eles possam se identificar”.

Na sinopse de Bloodhound, ela afirma que é “(…) uma assassina sanguinária, uma controladora de Golias, ex-escrava, meia morcega e muitas outras coisas, dependendo de quem estiver falando”.

Outro personagem que na própria descrição já confirma a questão homoafetiva é o tank do grupo, Gibraltar. Nela temos os dizeres: ” Porém, ele só começou a entender o valor de proteger os outros quando ele e o namorado roubaram a moto do pai, deram uma volta e ficaram presos num perigoso deslizamento de lama.“. Podemos ver, então, que antes do gigante entrar na competição, ele possuía um namorado.

Questões que envolvem o grupo LGBTQ+ são importantes para o desenvolvimento e evolução não só do cenário de jogos de vídeogame, como também evolução humanitária. Hoje, empresas que já trabalham com isso é a Riot Games, tendo até um vídeo promocional de Varus e seu namorado. E também a Blizzard com Overwatch, mostrando que o Soldado 76 e a Tracer são homossexuais.

Apex Legends está disponível totalmente gratuíto desde o dia 4 de Fevereiro para PC, Xbox-One e PS4.