Em mais uma entrevista do DrPuppet para o Mais e-Sports durante o MSI 2018, ele conversou com Matheus “Dynquedo” Rossini após a eliminação da KaBuM na competição. O time brasileiro conseguiu 2 vitórias no quarto dia da competição mas acabou sendo desclassificado.

Se inscreva no canal do Mais e-Sports e não perca os próximos vídeos:

Como foi esse segundo dia de jogo da KaBuM?

Dynquedo: “Foi um dia bem tenso para nós, tivemos altos e baixos. Os dois bons primeiros jogos onde saímos com a vitória… Ai quando a Dire Wolves perdeu ficamos tristes de novo. Depois nos divertimos jogando o último jogo. Foi um dia bem corrido, cheio de coisas. Mas estamos bem tristes pois temos que ir embora e fizemos uma campanha ruim no primeiro dia, estamos bem afetados.”

No primeiro dia mutias coisas não funcionaram e vocês mudaram para esse segundo dia de MSI. O que vocês mudaram?

Dynquedo: “Eu falei bastante que nós tentamos nos adaptar demais ao jogo dos outros no primeiro dia e acho que isso foi um problema. Agora nós vimos adaptados ao jogo deles e conseguindo impor o nosso jogo. Acho que esse foi o ponto principal para vir bem nesse segundo dia. Com a gente colocando o nosso jogo em prática fez a gente ter bons resultados nesse último dia… Se a gente tivesse feito isso desde o começo, a gente estaria em uma situação melhor nesse segundo dia.”

Foto: Riot GamesDy

Vocês sempre jogaram ao redor do top side na KaBuM. Como foi para vocês tentarem jogar assim no ambiente internacional? Como foi para você, Ranger e Zantins como trio?

Dynquedo: “O meta inteiro durante o split foi mais jogado para o top side, e acho que o nosso top side é muito forte. Tanto que conseguimos vencer tanto no início do split. Aqui é diferente, tem a Dire Wolves e principalmente a Super Massive que joga muito para o bot side. Então foi muito difícil para nós nos adaptarmos nesse patch pois jogamos contra um time tão forte como eles no bot side, sem nós termos um bot side tão forte, tendo um top side melhor. Eu acho que esse foi o principal motivo de nós termos ido tão mal contra eles. Na Dire Wolves a gente estava ganhando o top side mas por um erro bobo acabamos entregando toda a vantagem. Eu acho que esse foi o problema desse MSI para nós. Conseguimos hoje, mesmo jogando mais para o top side, botar nosso jogo em prática.”

Teoricamente o meta ficou em vários patchs ao redor do ADC, mas vocês sempre jogavam ao redor do Zantins e do Ranger. Onde saiu esse estilo de jogo de vocês? Foi o treinamento com o Nuddle? O que aconteceu?

Dynquedo: “Eu acho que o Nuddle com certeza ajudou muito a gente a se desenvolver tanto como time, como individualmente. Ele me explicava cada match up, jogava ela mal e ele me mostrava algumas coisas que eu não conseguia ver sozinho. Mas acho que vai muito da dedicação, vontade de vencer. Quando começamos a ganhar, a gente queria muito vir para fora, jogar o MSI e isso fez com que a gente jogasse tão bem no top side do mapa, logicamente no bot também, pois eles tinham que se adaptar à isso. Dificilmente a gente ficava atrás no Titan, dificilmente a gente ficava atrás no bot pois sabíamos só aceitar e ficar safe, enquanto o jogo rolava no top side. Só que aqui [no MSI] foi mais difícil executar isso e acabou que não fomos tão bem.”

Você e o Nuddle taralharam muito juntos, teria como falar sobre esse trabalho dele com você individualmente? 

Dynquedo: “Então, foi bastante aquilo… Quando ele jogava LOL, ele jogava no mid. Ele sabe muito dos match ups, hoje ele não sabe mais jogar mas ele sabe me explicar como ele via para aprender cada match up. Graças a isso que ele me ensinou no começo do split e eu fui me soltando mais. Hoje em dia eu consigo fazer sozinho, consigo assistir streams e ver cada coisa que cada jogador está fazendo que pode me ajudar. Então acho que isso, essa parte de match up, foi o mais importante, em que ele mais me ajudou. E acho que por isso a gente teve tanta vantagem durante o split, pois eu sempre tinha uma laning phase boa, e quando eu tinha uma lane boa eu conseguia ajudar o top side e fazíamos o jogo rodar. Aqui a prioridade não está muito no mid, tanto que de 8 powerpicks nenhum é mid, no máximo Swain e Vlad que são flex. É difícil você ganhar uma prioridade mid e fazer um jogo bom. Hoje gira muito em torno do bot.

É por isso que campeões como Karma, que ajudam o ADC e empurra muito a lane estão fortes. Você sempre foi bom em empurrar as lanes e trabalhar o jogo em torno disso, como é para vocês o shotcalling e a coordenação dos pushs para armar jogadas com o seu jungler?

Dynquedo: “O earlygame é mais o Ranger que tem essa responsa, eu dou essas informações para ele como quando terei o push, quando eu tenho controle da lane e ele fala o que ele quer fazer. Se ele quer roubar as galinhas, fazer uma jogada bot, gankar mid… Enfim, a gente tenta se comunicar o máximo possível para nós sabermos a nossa próxima ação. Vimos isso desde o Draft, ‘tenho Taliyah, o que vamos fazer com ela? Vamos gankar bot? Jogar nas galinhas deles?’ É isso.

Teria algum recado final?

Dynquedo: “Queria agradecer o apoio do pessoal. Desde o primeiro dia, mesmo com a gente indo mal, tinha muita, muita gente mesmo, apoiando a gente, muito mais que a gente esperava. Tenho só agradecer todo esse pessoal. Até os haters que a gente tinha desde o início do split, a gente sempre fala disso pois eles a gente evolui muito por causa deles, isso ajudou a gente bastante. Só queria agradecer. Continuem torcendo pois eu vou continuar jogando e independente do que aconteça com o time, espero que todo mundo continue torcendo para a gente.”

Entrevista feita em parceria com DrPuppet, siga ele no Twitter e confira mais novidades em seu canal do Youtube.