Um dos donos do CNB, Cleber “Fuzi” Fonseca publicou em sua página no Facebook sobre a saída do jogador Yoda.

Postamos agora pouco sobre a fala do Yoda no #DEPOISDONEXUS, se você não viu clique aqui para ver. 

Cleber comentou sobre a decisão de afastar o Yoda do time e a escolha de seu substituto. Também durante o #DEPOISDONEXUS, Cleber chegou a conversar rapidamente com Tixinha e contou que Vash é o nome mais cotado para atuar na Mid Lane do CNB.

Ele também comentou como foi essas últimas semanas no CNB e as mudanças que o time tentou realizar.

Confira as palavras de Cleber “fuzi” Fonseca:

Diante da repercussão gerada com o anúncio da saída do Yoda e muitos comentários sem base, mas muito influenciadores, venho esclarecer alguns pontos.

Antes de tudo, é complicado ver tantas pessoas hateando nossa decisão sem ter nenhuma base para opinar. O que é visto durante a série no CBLoL por semana não é o suficiente para entender tudo que acontece dentro dos times. A internet deu um poder para qualquer individuo disparar críticas atrás de um computador, e isso muitas vezes sai do controle.

Essa foi uma das decisões mais difíceis em tantos anos de experiência nos e-Sports. Eu vivo esse mercado há 15 anos e com o crescimento do CNB/mercado em geral, a responsabilidade e pressão naturalmente são maiores.

Diante de uma má fase da equipe, identificamos um desgaste no grupo, que a cada semana se tornava mais evidente e difícil de contornar. Esse problema começou a por nossa vaga no CBLoL em risco, o pior cenário que qualquer time pode chegar.

Gerenciar uma equipe esportiva, é mais difícil do que pode parecer. Gerenciar pessoas, em um trabalho comum, já não é fácil, gerenciar pessoas, envolvendo competição, alto rendimento, exposição ao público, fama, cobrança de torcida e etc, eu diria que é um pouco mais complexo.

Sabemos que o time e alguns jogadores não estão em boa fase, e chegamos a tentar outras alternativas nas semanas anteriores. Entramos em contato com o Loop, mas não houve interesse por parte dele, tentamos trazer o Gafone, do CNB Inifinity, mas ele teve problemas familiares e não conseguiu vir para SP. Colocamos um life coach para acompanhar a rotina 24h e fazer o melhor proveito dos treinos, mudamos o cardápio da casa com uma alimentação ainda mais nutritiva para melhorar o rendimento. Nosso psicólogo esportivo, que é de Florianópolis, também está há mais de 20 dias em SP fazendo acompanhamento diário, além do treinador e analista. Enfim, fizemos tudo possível para evitar colocar algum jogador na reserva.

Com o campeonato chegando na fase final, em um clima tenso e desgastado do grupo, poucas opções, devido a janela de transferência, contratos e o próprio split, vimos que a melhor decisão para o momento era colocar o Yoda na reserva e trazer um novo jogador para dar um novo ar, e então o time estar mais fluido para brigar pela nossa vaga, que vocês Blumers merecem.

Assim como não trouxemos o Yoda pelo marketing, e sim pelo potencial que ele apresentou, tivemos que tomar essa difícil decisão não pelo marketing, e sim pelo melhor do time no momento. No começo de 2014, nós tivemos que tomar uma decisão semelhante, colocando o nosso querido manajj na reserva, e que depois voltou à posição de titular. O Yoda achou que não era o melhor para a carreira dele no momento, e preferiu reincidir o contrato, e em nenhum momento dificultamos isso, chegamos num comum acordo.

A questão aqui não são nossas decisões, ou a do Yoda em si. Todos nós adoramos o Yoda e nos damos muito bem. Não existe vilão e bonzinho nessa história. Todas decisões foram de âmbito profissional, nossas e dele.

Por fim, o substituto do Yoda não será o Marf, atual mid laner do CNB Infinity e isso incomoda algumas pessoas. Ao meu ver, essa é uma questão bem simples. O nosso projeto sempre foi pensando a longo prazo. Deixar um jogador no nível de CBLoL, pode demorar bastante. Ainda mais em uma situação tão complicada na qual nos encontramos, seria até “maldoso” colocar um jogador, que não tem experiência, nessa fogueira. Poderia ser o começo e o fim da carreira do jogador. Nós não convocamos o Marf, pois aos olhos da comissão técnica, ele ainda não está preparado para essa função. Nosso trabalho com ele na equipe de base tem cerca de 3 meses, e, infelizmente, não é tempo suficiente para a necessidade atual.

Ontem foi interessante falarem sobre esse assunto no “Depois do Nexus”. O Brasil não tem jogadores suficientes ao nível que os reservas do CBLoL necessitam.

O trabalho a longo prazo é necessário, e quando perdemos toda nossa equipe pós CBLoL 2014, foi o que nos motivou a investir em novos talentos e times de base.

[PS: O Gary, que chegou a substituir Yoda ano passado, optou por deixar o time de base pois não estava conseguindo conciliar a vida pessoal com os treinos].

Obrigado por quem leu até aqui.
Fiquem com Deus, abraços.

Veja -> Vash pode ser o substituto de Yoda