No último sábado (17) a ProGaming enfrentou a KaBuM em um confronto direto pela liderança do CBLoL 2018. A equipe vinha de duas vitórias na competição mas não conseguiu parar toda a força da KaBuM e assim foi derrotada por 2-1. Após a série o Mais e-Sports conversou com Thiago “Djokovic” Maia, treinador da PRG, confira:

Se inscreva no canal do Mais e-Sports e não perca os próximos vídeos:

Qual foi o principal erro dessa série contra a KaBuM?

Djoko: Essa série foi muito mais a nossa equipe perdendo a série do que realmente o adversário sendo muito superior. Eles foram superiores sim mas porque nós não conseguimos ser quem a gente é individualmente e como time.

O Luskka escolheu a Caitlyn. Tem como falar um pouco sobre a ideia do pick?

D: A Caitlyn de certo e early game, ela aproveita uma boa lane phase para sempre estar 1 ou 2 itens na frente do ADC adversário. A grande questão desse jogo é que apesar de conseguirmos estar na frente com a Caitlyn nós não soubemos usar essa vantagem e jogamos fora em play atrás de play, o que fez a Tristana que é um campeão escala melhor com três itens estar igualada e superar nosso atirador. Então era algo que estava preparado e treinado mas infelizmente falhamos na segunda parte, na primeira de pegar a vantagem nós conseguimos mas na hora de executar essa vantagem nós falhamos.

Vocês escolheram Riven no jogo 2. Tem como explicar o porque do pick?

D: A partir do momento que o time adversário mostrou um GP tão cedo ele fica suscetível a counter picks, a gente tem alguns counter picks preparados para o GP e um deles e Riven. Naquela situação eu percebi que era um bom momento de usar o campeão embora a gente tenha também falhado e não conseguido espremer tudo que o pick pode mostrar, mesmo assim tivemos sucesso e deu tudo certo porque é um campeão que tem capacidade de dar all in e matar o GP em varias partes do jogo.

Foto: Riot Games

O SkyBart ficou pedindo muito para ele poder jogar de Riven? Como foi?

D: Eu que pedi pra ele jogar, ele queria jogar com outros campeões mas eu falei “aqui é um bom momento para você jogar de Riven essa oportunidade aparece as vezes e as vezes não aparece, aqui é uma boa oportunidade e eu confio em você, pode pegar a Riven” porque poderia até ser que eles banissem o campeão.

Tem como falar sobre a Kalista e o porque era ficou open para o TitaN?

D: Em relação a Kalista a gente noção que o pick é muito forte e o TitaN é muito bom com ela, mas estudamos muito e sabíamos como ele aplicava esse campeão, como a bot lane deles gostava de jogar, então a gente já tinha uma composição preparada para isso e sabia que a Kalista seria um problema, mas era um problema controlado.

Todo mundo agora está banindo a Evelyn. Tem como falar um pouco sobre isso?

D: Essa questão da Evelynn ser sempre um banimento é ao mesmo tempo algo bom e ruim, é um ban que a gente conta que eles tenham lá mas é um campeão que o Minerva é muito bom e não pode usar no arsenal dele, então tem os dois lados, é bom estrategicamente porque podemos saber que já vai ter um ban ali, que eles vão ter só dois bans mas é ruim por outro porque a gente não pode usar um campeão que é tao bom.

Qual a vantagem disso?

D: A gente já sabe que provavelmente quando estamos no blue side um pick prioritário pode voltar se eles banirem Evelynn como foi o caso da Zoe no segundo jogo. Então os adversários não banirem campeões mais prioritários para banirem campeões target como foi no caso dela tem um valor muito grande para nossa equipe.

O próximo jogo da Progaming será contra a CNB no dia 25 de fevereiro. Você pode acompanhar a cobertura completa do CBLoL 2018 aqui no Mais e-Sports.

*Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.