Quando começamos a jogar um jogo novo, geralmente passamos por tutoriais e partidas contra bots (Personagens controlados pelo computador) como uma forma mais fácil de aprender sobre o jogo sem ter que competir com outras pessoas diretamente, certo? Mas depois que aprendemos sobre o jogo e conseguimos uma certa experiência, vemos que os bots são adversários bem fracos e que na maioria das vezes já não nos apresenta perigo algum, sendo bem previsíveis e que podem ser facilmente derrotados. Mas e quando um bot consegue derrotar um dos maiores jogadores profissionais do mundo? Foi exatamente isso que aconteceu neste final de semana no The International 2017, o mais importante torneio de Dota 2 do ano.

O The International reúne as melhores equipes do mundo e contou com uma premiação que superou a marca dos 24 milhões de dólares. Além disso, o evento que detém o recorde de maior premiação da história do esporte eletrônico, teve como uma de suas atrações um X1 entre o jogador profissional Danil “Dendi” Ishutin, e um bot um pouco “diferenciado”. O bot foi criado pela empresa OpenAI, fundada pelo empresario Elon Musk, (também é dono da Tesla e da SpaceX), e tem um alto nível de tecnologia na área de inteligência artificial. Antes de continuarmos com o assunto, confira o vídeo do x1 entre o jogador e o bot criado pela empresa (a partida começa aos 07:22):

O jogador não só perdeu o duelo como foi totalmente dominado pelo seu inimigo, e em alguns momentos do vídeo ele chega a chamar o bot de “dominante e assustador“. A movimentação, ações como manter a pressão sob o inimigo para que ele não conseguisse farmar, ou “fingir movimentos” para enganar seu adversário, mostraram o alto nível de aprendizado que estava sendo mostrado ali.

Os envolvidos no projeto que estavam presentes no momento, afirmaram que outros jogadores profissionais também foram derrotados e também se mostraram impressionados com a inteligência artificial.

Vale lembrar que Dendi é um jogador bastante consagrado no Dota 2, já tendo ganho um The International em 2011 e ficado com o vice-campeonato em 2012 e 2013.

Objetivos da OpenAI e técnicas de aprendizado de maquina

A OpenAI  tem como objetivo criar AGI (Inteligência Geral Artificial) segura e garantir que seus benefícios sejam amplamente e uniformemente distribuídos tanto quanto possível. A empresa não tem fins lucrativos e publica todos os seus trabalhos no seu blog oficial e em conferencias de Inteligência Artificial. Todos seus projetos são códigos abertos.

Para esse projeto em especifico, a empresa utilizou Machine Learning (aprendizado de maquina) como principal motor da inteligência artificial apresentada. Como Dota 2 é um jogo muito complexo, seria muito difícil criar um conjunto de regras de decisões o qual tornassem o bot bom o bastante para jogar com um profissional sem usar essa técnica, afinal as possibilidades de estratégias  que podem ser usadas são infinitas.

Mas como isso funciona? Aprendizado de Máquina é um método de análise de dados que automatiza o desenvolvimento de modelos analíticos, usando algoritmos que aprendem interativamente a partir de dados e permitindo que os computadores encontrem insights ocultos sem serem explicitamente programados para procurar algo específico, ou seja, em vez do computador ter vários comandos pré definidos para a maior quantidade de situações possíveis, ele começa a aprender sozinho a partir de uma base de dados inicial.

Nesse caso em especifico, a empresa treinou a inteligência artificial apenas contra ela mesma. Ela gerou uma cópia do bot e colocou os dois para jogarem partidas 1×1. No começo os movimentos de ambos eram relativamente aleatórios, mas com o passar do tempo foram evoluindo e “aprendendo consigo mesmo” até chegar ao nível mostrado na competição.

Elon Musk comentou o ocorrido em seu Twitter oficial, e também mostrou sua apreciação pela tecnologia de processamento nas nuvens da Microsoft, a Azure Cloud. De acordo com o empresário, o uso dessa inteligência artificial requer um grande poder de processamento.

Planos futuros da empresa

O objetivo da empresa é conseguir criar um time completo de bots que consigam jogar em alto nível. Tal objetivo tem um nível de dificuldade bem maior do que o apresentado, já que envolve o aprendizado de estratégias em equipe e tomadas de decisões que impactam em varias situações ao longo do jogo. Mesmo assim a equipe se mostrou confiante já que os resultados mostrados já foram impressionantes, quem sabe no The International 2018 já não vemos um x5 entre os campeões do torneio e as maquinas?

A Team Liquid foi a grande campeã do campeonato após vencer a Newbee por 3-0 e levou para casa o prêmio de 10,803,141 milhões de dólares. Você pode acompanhar um resumo da série aqui.