v$m, da DETONA, durante a decisão da Aorus League (Foto; Roque Marques/Mais Esports)

Vinicius “v$m” Moreira tirou um peso dos ombros. Um dos destaques do Counter-Strike: Global Offensive nacional em 2018, o jogador assegurou o título da terceira temporada da Aorus League e finalmente deu fim as piadas sobre “pronetagem” dele e dos companheiros de DETONA Gaming.

“Eu estou muito feliz com o título. É minha segunda lan, na primeira eu não consegui jogar muito bem e nessa eu consegui, assim como [todo] o time. [Conseguimos o título] mesmo com o Tuurtle entrando recentemente. Foi um pouquinho difícil, mas estávamos treinando muito para isso”, contou v$m em entrevista ao Mais Esports no estúdio da Talent Experts, em São Paulo.

O jogador não escondeu o alívio por finalmente conseguir um título presencial. Com apenas uma lan no currículo, v$m e seus companheiros sempre foram alvo de críticas por só participar, e vencer, em torneios online.

Para o jogador, as críticas eram ainda mais pesadas. Isso porque, no fim do ano passado, v$m teve seu nome ligado a uma conta com um banimento VAC em registro e foi banido por tempo indeterminado de torneios oficiais da Valve – os minors e majors.

“Eu estou muito contente. Era um peso enorme, ainda mais em mim. Todos falam do negócio da Valve e muita gente fica falando m****. Isso é ruim para mim, mas agora conseguimos ganhar e eu acredito que vão falar menos. Eles vão acreditar mais no nosso time”, desabafou.

“Consegui provar que não sou o que eles falam. Peço para que acreditem em mim e que tudo vai dar certo”, completou.

PRO LEAGUE NO HORIZONTE

Agora, o foco da DETONA é a 9ª edição da ESL Pro League. A equipe está no grupo latino, que será disputado entre os dias 23 e 25 de abril, nos Estados Unidos.

“Vai ser muito difícil. Jogar contra os melhores não é fácil. Aumentamos nosso tempo de treino, estamos entrando mais cedo, treinando das 17h30 à 0h todos os dias. [Fazendo treino] tático, assistindo demo e aquecendo a mira. Vamos chegar confiantes”, afirmou v$m.

“Estou muito [ansioso], quero muito jogar contra os caras”, completou.

O SONHO DO MAJOR

Nos bastidores, a DETONA trabalha para tirar a punição de v$m junto à Valve, liberando-o para disputar os torneios do circuito oficial da publicadora do CS:GO. O jogador não quis comentar sobre o ban e os trâmites para a liberação, mas minimizou o impacto dela na sua carreira – apesar de deixar claro que gostaria de jogar o principal torneio do cenário.

“Desde que eu comecei a jogar CS eu quis sempre jogar o maior campeonato. O CS:GO surgiu e meu sonho foi jogar um major. Jogar os outros vai ser a mesma coisa, [o major] é só um campeonato a menos, faz diferença, mas não é tanta diferença assim”, contou.

“Eu sonho [em um dia jogar um major]. Acredito que um dia isso acontece”, finalizou.