tge
tge, da Bulldozer, na decisão da 8ª temporada da BPL (Foto: Victor Hugo Porto/Mais Esports)

A decisão da 8ª temporada da ESL Brasil Premier League não foi um grande desafio para a Bulldozer e-Sports. Depois de vencer a Redemption, o capitão Gustavo “tge” Motta revelou que a equipe não se sentia pressionada – e que ele nem acredita que esse sentimento exista.

“Eu não acredito muito nesse negócio de pressão. Eu sempre tento passar para os meninos que todo jogo é jogado. Assim como podemos atropelar, podemos ser atropelados”, revelou tge em entrevista ao Mais Esports.

“Temos que ter a mesma seriedade sempre. Tínhamos bons resultados contra eles na internet e isso deu um pouco de confiança para jogar na lan”, completou.

A vitória veio após dois mapas sem muito sustos. Na Nuke, primeiro deles, a Bulldozer conseguiu uma vantagem de 10-5 mesmo estando no lado TR – considerado desvantajoso. “Além da gente estar bem preparado, sabíamos que eles não jogam muito na Nuke. Escolhemos esse pick e tivemos um TR tranquilo”, contou tge.

Na Mirage, escolha do adversário, a história não foi muito diferente: “Estávamos na dúvida entre mapas, mas tínhamos quase certeza que seria Dust2 ou Mirage. Conseguimos nos sair muito bem. O vhz foi monstro, diferenciado. Nós tivemos calma, algo que não aconteceu no primeiro mapa”.

APOSTA NA BASE

Depois de quase dois anos jogando ao lado de Vinicius “vhz” Santana e Julio “FATAL” Souza, tge vê a Bulldozer próxima da escalação ideal – com Abraão “abr” Campagnac  e Michael “dok” Marques.

“Tivemos alguns problemas, mas dessa vez nós encaixamos com dois jogadores e nos firmamos. Estamos mostrando bons resultados. É muito importante manter um grupo forte, nos dá muita confiança na hora do jogo. O vhz eu sei que é monstro, o FATAL na lan-house brilha muito”, contou.

Essa força destacada por tge também vem da convivência. Os jogadores estão unidos em Vitória, capital do Espírito Santo, treinando juntos diariamente.

“Estamos morando em Vitória faz dois meses e lá funciona um esquema de gaming office. Tem uma lan-house atrás da nossa casa e isso facilita bastante. Estamos sempre lá jogando, com o pessoal assistindo. Isso tira nossa pressão. Viemos para cá confortáveis, senti todo mundo 100%”, afirmou.

Esse período ajudou a equipe a se reorganizar. “Viemos mudando nosso estilo de jogo e agora acho que achamos o ideal. Um estilo solto, de improviso, que conseguimos tirar 100% de cada um”.

Agora, os esforços da equipe se concentram na LA League, que começa nesta segunda-feira. Para tge, porém, os próximos dias serão de repouso – o jogador está com pedra nos rins.