pkl pain
PKL, da paiN, comemora rodada vitoriosa durante a 7ª temporada da StarSeries

A paiN Gaming é a grande campeã da segunda etapa da Aorus League 2019. Em final disputada em Buenos Aires, na Argentina, a equipe brasileira contou com grande atuação de Vinicios “PKL” Coelho para bater a Rejected e assegurar o título.

O placar foi de 3 a 0 para a paiN, com 16-10 na Inferno, 16-14 na Overpass e 19-16 na Train.

O grande destaque da série ficou por conta de PKL. O capitão somou 76 abates ao longo dos três mapas e teve um rating de 1.30 segundo a HLTV.

Campeã, a paiN faturou US$ 2 mil em premiação. Vice, a Rejected levou US$ 1 mil.

O JOGO

A série começou com a Rejected levando a melhor nos dois primeiros rounds da Inferno. A paiN logo tratou de virar o jogo e dominar os chilenos, terminando a primeira etapa com vantagem por 9-6.

A história pouco mudou no lado CT e a paiN não vacilou. Com Paulo “land1n” Felipe inspirado, a equipe mostrou uma defesa sólida e, mesmo cedendo em alguns momentos, conseguiu fechar o mapa em 16-10.

Na Overpass, a paiN fez valer sua escolha e, mesmo após perder o pistol, dominou. Do lado CT, vantajoso no mapa, a equipe abriu 7-1 sem grandes dificuldades. Quando a primeira etapa se encaminhava para o fim, a Rejected conseguiu reagir e trazer a diferença para o mínimo, 7-8.

Depois da virada de lados, os chilenos passaram a frente no placar, vencendo o pistol e o round seguinte. A paiN respondeu com três boas execuções, mas logo tomou uma nova virada e viu a Rejected abrir 14-11. PKL apareceu no fim da partida para trazer o resultado de volta e comandou os brasileiros a cinco pontos consecutivos, fechando o jogo em 16-14.

Escolha da Rejected, a Train começou boa para a paiN, que venceu os dois primeiros pontos. Cristian “LEEROY” Quijada e seus companheiros responderam no primeiro armado, que resultou numa boa sequência e em um 5-2 em favor dos chilenos.

A paiN não demorou para voltar a pontuar e PKL seguiu inspirado, acabando com as investidas do adversário no bomb site A. Sem resposta, a Reject pontuou só mais uma vez antes do final da primeira metade – que terminou em 9-6 em favor dos brasileiros.

No lado terrorista, a paiN não teve um bom começo. A Rejected mostrou uma defesa muito forte para fazer seis rounds em sequência antes dos dois primeiros pontos do time brasileiro. Os chilenos responderam prontamente, fazendo mais dois pontos e abrindo 14-11.

Depois de um pause, a paiN conseguiu se recuperar e fazer quatro pontos, garantindo o match point. Na vantagem no placar e na economia, os brasileiros tentaram uma entrada fundo, mas acabaram caindo para Felipe “rochet” Rochet, dando o empate para a Rejected.

No tempo extra, valeu a boa atuação da dupla Rodrigo “biguzera” Bittencourt e Arthur “f4stzin” Schmit, que mantiveram o ritmo a fase regular e conduziram a paiN ao 19-16.