O ano de 2019 começou com esperança para os torcedores da MIBR. O antigo elenco da SK Gaming, que dominou o cenário internacional em 2017, se reuniu novamente e junto com a adição do treinador Wilton “zews” Prado, renovou as esperanças para uma melhora de rendimento da equipe.

Os resultados não vieram e as críticas da comunidade começaram a aparecer. Maus resultados, troca de jogadores, entre outros fatores acompanharam a primeira parte do ano da equipe brasileira. O Mais Esports fez um resumo do primeiro semestre da MIBR; confira.

OS CAMPEONATOS DA MIBR

O primeiro compromisso da MIBR no ano foi o maior campeonato da modalidade: o Major. A IEM Katowice foi promissora para os brasileiros que foram elogiados por especialistas e também pelos torcedores, apesar de ficar em 3º-4º; Gabriel “FalleN” Toledo e seus comandados foram eliminados pela Astralis, equipe que viria a ser a campeã do torneio.

Após o Major, os três resultados seguintes foram decepcionantes: a eliminação para a Windingo na WESG e o sexto lugar na BLAST São Paulo. No campeonato realizado na capital paulista, os brasileiros foram mal: a campanha da MIBR teve um total de cinco derrotas e nenhuma vitória.

A campanha na StarSeries & i-League jogou um balde de água fria na torcida brasileira. FalleN e companhia saíram cedo da competição e terminou em 12º-14º. Um resultado melhor veio logo no campeonato seguinte: um terceiro lugar na BLAST Pro Series Miami.

Felps lamenta no primeiro dia de Starseries (Foto: StarLadder)

Na sequência, os brasileiros jogaram a IEM Sydney. A MIBR terminou em 3º-4º após a eliminação para os atuais melhores do mundo, a Team Liquid. Nas duas competição seguintes, a ECS Finals e Pro League Finals, a equipe brasileira ficou na mesma colocação em ambos os torneios: 7º-8º.

A ESL Cologne trouxe um novo resultado muito ruim para Fernando “fer” Alvarenga e companhia: a equipe terminou a competição em 13º-16º e sequer passou da fase de grupos do torneio.

As duas últimas competições dos brasileiros foram a BLAST Pro Series Los Angeles e IEM Chicago. Na primeira, os brasileiros terminaram em quinto lugar. Já na IEM Chicago, a MIBR conquistou uma posição um pouco melhor: 3º-4º.

RANKING MUNDIAL

A MIBR iniciou o ano na quarta colocação no ranking da HLTV e foi ladeira abaixo até o dia 18 de fevereiro quando ocupava a 11º posição, mas uma semana depois voltou à quarta posição. A partir desse momento, a equipe brasileira passou por altos e baixos alternando entre a quarta e a nona colocação, passando por fora do top 10 em uma semana.

Em 15 de julho, a equipe atingiu seu ponto mais baixo no ranking. Com zews e Lucas “LUCAS1” Teles, a MIBR apareceu na 15º colocação. Na semana seguinte, subiu uma posição e ocupa o 14º lugar atualmente.

Nesse tempo de maus resultados, a MIBR perdeu o posto de equipe brasileira melhor colocada no ranking. Em junho, a FURIA, devido aos bons resultados no ano, ultrapassou  FalleN e companhia e atingiu o topo para uma equipe do Brasil. Foi a primeira vez que uma equipe liderada pelo Verdadeiro perdeu esse posto.

MUITAS MUDANÇAS NA MIBR

Após um ano de 2018 com muitas expectativas e poucos resultados, a MIBR se desfez dos jogadores americanos que estavam no elenco. A saída de Jake “Stewie2K” Yip, que foi trocado por TACO e zews, e Tarik “tarik” Celik, que foi contratado pela NRG, abriu novamente um fio de esperança para a torcida brasileira.

Com a lembrança de uma das maiores equipes do Counter-Strike nacional, os torcedores tinham a certeza que o ano de 2019 seria melhor. A entrada de felps no inicio de janeiro tornou a equipe novamente 100% brasileira, o que agradou aos fãs da organização.

Felps não ficou muito tempo com a equipe e após resultados ruins, o jogador foi emprestado para a Luminosity e a MIBR trouxe LUCAS1 para o seu lugar. Pouco menos de um mês depois, Marcelo “coldzera” David anunciou que pediu para ir ao banco de reservas da equipe, o que surpreendeu todo cenário internacional.

O brasileiro que foi melhor do mundo duas vezes consecutivas requisitou o deslocamento ao banco de reservas pois estava à procura de novos desafios e em busca de uma nova organização para realiza-los.

NOVAS MUDANÇAS PARA O FUTURO

Com a saída de coldzera para o banco de reservas, o treinador zews assumiu o lugar do jogador. Com o complete, a MIBR jogou a BLAST Pro Series Los Angeles e IEM Chicago e o desempenho foi elogiado pela comunidade.

Foto: Leo Sang/BLAST

Além das duas competições já citadas, zews também atuará no StarLadder Berlin Major, já que o quinto jogador da equipe brasileira ainda não foi anunciado e só deverá ser apresentado após o Major.

Segundo especulações, o awper Vito “kNg” Giusseppe é o mais cotado para assumir a vaga de coldzera na MIBR. Em entrevista ao Mais Esports, fer elogiou kNg e afirmou que é “ele é muito bom”.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

Até o fechamento desta matéria, a MIBR possui mais quatro compromissos marcados até o final do ano. Nesse mês, a equipe disputa da StarLadder Major, ainda com zews como complete. Nos dias 13 e 14 de setembro, os brasileiros irão à Rússia para a disputa da BLAST Pro Series Moscow.

No mês seguinte, outubro, o compromisso será a Pro League Season 10 Americas, entre 8 de outubro e 18 de novembro. Já entre os dias 21 e 24 de novembro, a MIBR competirá no CS:GO Asia Championships 2019.