A FURIA venceu a Sharks na tarde deste domingo (21) pelas semifinais da DreamHack Open Rio. Após a classificação à final, o treinador Nicholas “guerri” Nogueira falou com o Mais Esports.

Nicholas “guerri” Nogueira ao final da da partida contra a Sharks pela DreamHack Open Rio. Foto: Victor Hugo Porto/Mais Esports

A Vertigo apareceu na semifinal como escolha da Sharks e surpreendeu a equipe da FURIA. Guerri não esperava a escolha, mas avisou que estavam preparados do mesmo jeito. “Eu achei que eles iam escolher a Train, que é o mapa de confiança deles. A gente se preparou para a Train, mas estávamos tranquilos se fosse a Vertigo”, afirmou.

Preparada para a final, a FURIA, segundo guerri, não escolhe adversário. “Não temos preferência. Os dois times são muito fortes e eles estão no mesmo nível que a gente”. Apesar disso, o treinador prega cautela e afirma que contra qualquer adversário a final será complicada. “Independente de quem vier será um jogo difícil”.

Questionado sobre a entrevista com o treinador da Sharks, Hélder “coachi” Sancho, guerri fugiu das polêmicas e aprova a disputa fora do servidores. “É interessante toda rivalidade dentro do jogo. É saudável, eu gosto”.

Além disso, o treinador finalista da DreamHack Open Rio falou sobre a relação da torcida com a Sharks. “Acho que ele se sentiu um pouco desamparado pela torcida brasileira, porque eles são fortes, têm sucesso, mas não têm o mesmo reconhecimento que a gente”, completou.