- Publicidade -
FURIA
Equipe da FURIA após jogo na DreamHack Open Rio (Foto: Alex Maxwell/DreamHack)

A FURIA Esports veio a público para falar sobre o contrato antigo publicado pelo site Dexerto. De acordo com a organização, os “pedaços de documentos não correspondem aos nossos antigos contratos, nem aos contratos recém negociados”.

A nota foi publicada pela organização na noite desta terça-feira. Nela, a FURIA afirma que “as fontes da notícia estão muito mal informadas ou mal intencionadas”.

De acordo com a nota, remuneração da FURIA “é muito superior aos U$1.400 noticiados sem qualquer embasamento. A maior parte é baseada na posição do ranking, começando com top 30 e quebrando em várias categorias até o top 1”.

Além disso, a organização respondeu sobre as partes do documento que mostram que o corte de premiação da FURIA é de 60% – incomum no Counter-Strike: Global Offensive -, e a multa rescisória de US$ 200 mil. “Os buyouts dos jogadores são proporcionais às suas remunerações e, assim como o rateio das premiações, correspondem ao praticado no mercado”, explicou.

De acordo com o Dexerto, o contrato publicado se referia ao antigo, não aos que os jogadores assinaram na última sexta-feira.

Confira a nota da FURIA na íntegra:

Um site publicou hoje uma reportagem com pedaços de um documento sem assinatura, afirmando que seria o antigo contrato da FURIA com nossos players.

Ao contrário do que o jornalista afirma, não fomos procurados para comentar a reportagem, por isto fazemos este comunicado.

Aqueles pedaços de documentos não correspondem aos nossos antigos contratos, nem aos contratos recém negociados. As “fontes” da notícia estão muito mal informadas, ou mal intencionadas.

A remuneração dos nossos atletas é muito superior aos U$1.400 noticiados sem qualquer embasamento. A maior parte é baseada na posição do ranking, começando com Top 30 e quebrando em várias categorias até o Top 1. Diante da incrível performance da nossa equipe eles recebem valores significativos. Altos o suficiente para fazer com que eles resistissem ao assédio de outras equipes e renovassem seus contratos com a Fúria por inéditos 5 anos! Os buyouts dos jogadores são proporcionais as suas remunerações e, assim como o rateio das premiações, correspondem ao praticado no mercado.

A FURIA está trabalhando de uma forma plena, em harmonia total com os seus jogadores, funcionários, patrocinadores e principalmente com os seus propósitos.

O nosso crescimento vai continuar. Vamos seguir valorizando todos ao nosso redor, incluindo nossos fãs, como sempre fizemos. Este é o modelo FURIA de ser, uma organização que nasceu no Brasil e com o tempo vai brilhar no topo de diversos rankings mundiais.

Somos muito mais que uma equipe, ou algumas equipes, somos uma familia, unidos pela competição, pela adrenalina, pela evolução diária diante de um esforço incondicional que contagia todos ao nosso redor.

Que venham as próximas conquistas,
FURIA!