- Publicidade -
fer encontro das lendas mibr
fer participa de showmatch durante o Encontro das Lendas (Foto: Felipe Guerra/MIBR)

Desde a saída de Marcelo “coldzera” David, a tônica da MIBR tem sido destacar o clima na equipe. Fernando “fer” Alvarenga, mais uma vez, elogiou o momento vivido fora do servidor e reforçou que os brasileiros estão na “mesma página”.

“Com o time do passado nós não estávamos muito na mesma página. Quando você não está na mesma página, você não joga com alegria, vontade de jogar. Nós viemos de um tempo sem esse espírito de time, sem vontade de jogar. A gente estava jogando, dava um hype quando ganhava os rounds, mas não conseguia sentir que estava todo mundo feliz, na mesma página”, afirmou fer em entrevista ao Mais Esports durante o Encontro das Lendas.

O torcedor pode presenciar esse clima durante a BLAST Pro Series Los Angeles e a IEM Chicago. Visivelmente, a vibração e a felicidade dos jogadores foi maior do que nos últimos meses. Nas redes sociais, a torcida elogiou a nova postura.

“Agora, com essa mudança, estamos meio que resetando o time. Começando de novo. Tivemos uma conversa entre nós. Todo mundo que está aqui quer ganhar, não queremos perder tempo”, continuou.

“A conversa foi muito franca, pudemos falar o que achávamos um do outro. Saindo disso, dissemos ‘vamos lá, fazer acontecer’. E desde então a gente tem que estar feliz jogando. O sucesso para ser bom no que você faz é estar feliz. Isso que estamos trazendo para o nosso time e está dando muito certo”, completou o jogador.

PRESSÃO PELO STATUS LEGEND

Desde que participou de seu primeiro major na ESL One Katowice em 2015, a equipe encabeçada por fer e Gabriel “FalleN” Toledo nunca deixou de obter o status Legend – que garante classificação para a fase de grupos do major seguinte.

No StarLadder Berlin Major, com o cenário em seu auge de competitividade e com Wilton “zews” Prado atuando temporariamente, o time não se sente pressionado por manter a tradição dos últimos quatro anos.

“Como ainda não temos um quinto jogador, estamos focados no major. Nosso objetivo é pelo menos conseguir o status Legend, continuar com isso. Se não conseguirmos, tudo bem, sabemos que vai ser difícil. Vamos ter quase 20 dias de treino, vamos dar o nosso máximo para conseguir ir bem para o major”, comentou fer.

Fer, inclusive, destacou que toda a experiência do quinteto deixa o clima ainda mais ameno para o mundial de Berlim, que começa no dia 23 de agosto – com a MIBR estreando no dia 28.

“Sabemos que o que temos hoje no nosso time talvez não seja o suficiente para ganhar o major ou para pegar o status Legend. Vamos lá para nos divertirmos, sermos felizes e dar o nosso máximo. Espero que seja o suficiente para gente conseguir o lugar [no Legends]. Pressão hoje em dia a gente não tem. Somos azarões em todos os jogos que a gente joga e essa é a parte boa. Você não sente a pressão, não tem muito a perder. Acho que nosso time está com a mentalidade preparada para que, se não der certo e não conseguirmos o status Legend no major, o nosso projeto é para depois e tudo bem, vamos continuar batalhando e treinando forte”, completou.

O jogador também aproveitou para destacar a queda no prestígio dos mundiais.

“Infelizmente, o major perdeu um pouco do prestígio por causa da própria Valve. Você vê que os outros jogos estão crescendo muito mais e a Valve não se mexe. Tem campeonatos que, para mim, tem mais prestígio do que o próprio major. A ESL One Cologne, por exemplo. Para mim [o major] não tem mais o mesmo prestígio. [Apesar disso,] lógico que é um campeonato mundial, da Valve, é super importante”, afirmou.

TIMING RUIM

A saída de coldzera também foi comentada por fer. O desejo de deixar a MIBR do ex-melhor do mundo foi reportado no dia 7 de julho, menos de duas semanas após o fechamento das inscrições para o StarLadder Berlin Major. Para fer, o timing da mudança foi ruim.

“Esse major, para mim, é um pouco triste porque quando o cold quis sair do time já tinha dado o roster lock e não poderíamos mais inscrever ninguém. O triste foi o timing que ele saiu”, destacou.

Fer não poupou elogios ao ex-companheiro, mas destacou que um novo jogador também somará muito a equipe, atual 14ª colocada no ranking da HLTV.

“O cold é um jogador muito bom, melhor do mundo duas vezes seguida e diferenciado. Mas eu acho que ninguém é insubstituível. Vamos chamar um jogador que talvez não tenha a mesma característica que ele, a mesma mentalidade de jogo. Acredito que estamos perdendo com a saída do cold, mas vamos ganhar com um jogador novo”, afirmou fer.

“Ele vai trazer coisas boas para gente, não só dentro do jogo mas também fora, com espírito de time, que é muito importante. Estamos buscando um jogador que está afim de trabalhar sério e busca ganhar. Sabemos que não é ganhar, não é só entrar no servidor e falar que vai dar bala na cara, não é só isso. Isso vem desde a hora que você dorme, acorda, do jeito que fala com as pessoas, de comer junto, estar unido e ser uma família. Vamos procurar um cara assim”, completou.

Fer entende que um jogador do calibre de cold é difícil de ser encontrado no mercado, mas reforça: ninguém é insubstituível. “Tenho certeza que vamos perder um pouco in-game, pelo menos no começo, porque teremos que dar uma mudança no estilo de jogo do time. Ao mesmo tempo, tenho certeza que ganharemos com a adição de um novo jogador. O timing foi ruim, mas ninguém é insubstituível”.

EU SEI O QUANTO ELE É BOM

O nome de Vito “kNg” Giuseppe ganhou ainda mais força após o jogador da INTZ eSports ter tido seu visto norte-americano aprovado. A liberação do documento era uma das condições para que o negócio, confirmado pelo Mais Esports, avançasse. Apesar de destacar que o time ainda não fechou com o quinto jogador, fer elogiou kNg.

“O kNg é com certeza uma opção do nosso time. Eu já joguei com ele no passado, sei o quanto ele é bom. Não só dentro do jogo, mas ele puxa a responsabilidade também fora. É um cara que tem as atitudes que, para mim, são muito boas para ser um parceiro de time meu”, afirmou.

“Se você for comparar o cold com o kNg, eles são completamente diferentes. Mas é aquilo que falei para você, talvez você perde um pouco de um lado mas ganha do outro. Se for o kNg ou outro jogador que entrar no nosso time, vamos tirar coisas boas dele”, completou.

O jogador finalizou elogiando FalleN e zews, capitão e treinador da equipe, por conseguirem extrair o melhor de cada um de seus comandados. “Somos um time que sabe que usar o que tem. O FalleN e o zews são caras que conseguem extrair o melhor. Não importa quem entrar, tenho certeza que eles vão saber puxar o melhor do que o jogador tem para o time. Não estou preocupado com quem vai entrar, quem entrar vai representar bem o Brasil.