Ao lado de seus companheiros de equipe, o usbeque Sanjar “SANJI” Kuliev conquistou o título da DreamHack Open Rio. A vitória veio sobre os brasileiros da Furia eSports por 2×1, em uma final muito disputado e definida nos detalhes.

Torcida brasileira 

Além do alto nível de ambos times, a finalíssima teve um ingrediente à mais: a torcida brasileira. Para SANJI, enfrentar os donos da casa é “diferente e um pouco difícil de jogar”, disse em entrevista ao Mais Esports.

“Essa é minha primeira grande LAN. É bem difícil ganhar deles, com a torcida gritando para eles, é um pouco difícil de jogar, com essa pressão”.

A escolha de Vertigo pela Furia

Na semifinal contra a Sharks e-Sports, a Furia jogou Vertigo contra seus conterrâneos, quem escolheu o mapa. Pela primeira vez em uma grande LAN internacional, o mapa foi disputado e deu Furia com facilidade.

Na final, foi vez da Furia escolher o mapa. Os brasileiros enfrentaram os cazaques no primeiro mapa da MD3 e os derrotaram com grande facilidade. Ainda assim, SANJI afirma que sua equipe vinha treinando o mapa recentemente.

“Sim, nós vínhamos treinando. Nós esperávamos esse pick. Não foi um grande problema porque sabíamos que podíamos ganhar nos outros dois mapas – Inferno e Train”, continuou a mais recente adição da AVANGAR.

Favoritismo

A equipe cazaque veio ao Brasil como cotada a vencer o torneio, ao lado da Valiance e da própria Furia. Isso, para SANJI, não foi um problema em momento algum.

“Não sentimos uma pressão por sermos um dos favoritos. Nós já jogamos duas MD3 contra a Valiance, sabemos como enfrentá-los. No entanto, com a Furia foi a minha primeira vez e é bastante difícil”.

Primeira grande LAN com a AVANGAR

SANJI levanta o título da DreamHack Open Rio Foto: Victor Hugo Porto/Mais Esports

 

Oficializado na AVANGAR no dia 12 de abril, a DreamHack Rio foi onde SANJI disputou sua primeira grande LAN ao lado do novo time. O novato afirma que está se sentindo “bem confortável”.

“Eu ainda estou aprendendo muito com meus companheiros. Temos muitos ensinamentos para trocar ainda”, continuou o jogador de 21 anos.

Com essa conquista de título, a expectativa é de uma AVANGAR cada vez mais forte. E a sinergia poderá ser um dos pontos que a equipe crescerá bastante. “Com certeza confiança. Essa vitória significa muito para a gente”.

IGL da equipe

Responsável por passar as grandes chamadas dentro da partida, o In-Game Leader (IGL) pode variar constantemente. É o caso da AVANGAR, equipe onde tanto o russo Jame quanto qikert podem realizar essa função.

Questionado pelo Mais Esports, SANJI esclareceu a questão: “Jame é quem está dando as calls, mas temos jogadores que ajudam com isso. Qikert também faz essa função, está algo bem 50/50”.

Objetivos da equipe

Embora o título de uma LAN internacional seja valioso, o elenco da AVANGAR mira mais alto. À longo prazo, a meta é de “ser um time top 10 mundial e jogar mais campeonatos, para o time e os jogadores individualmente terem mais experiências”, finalizou SANJI.