zews coldzera
zews comemora vitória no round durante o Champions Stage da IEM Katowice (Foto: ESL)

Caso Marcelo “coldzera” David insista em deixar a MIBR, Wilton “zews” Prado não poderá jogar o StarLadder Berlin Major em seu lugar. De acordo com a organização do torneio, um pedido de saída de um jogador não se enquadra nos “casos de emergência” previstos no livro de regras e que permitem alteração na escalação enviada no dia 25 de junho.

Em contato com o Mais Esports, um representante da StarLadder afirmou que a organização “não recebeu nenhum pedido [de mudanças no elenco] até o momento”. O mesmo não comentou o que aconteceria em uma hipotética saída de cold, mas afirmou que “se um jogador decide deixar o time, isso não é uma emergência”.

No artigo 12 do livro de regras, prevê-se que é possível utilizar um treinador (ou sexto jogador) inscrito previamente no lugar de um dos titulares da equipe. Essa manobra, porém, só se dá em casos de emergência. Tais casos são descritos no item d do mesmo artigo e são reservados a situações de “força maior”, como não obtenção e atraso de visto ou problemas sérios de saúde.

O não cumprimento da regra pode resultar na eliminação da equipe.

Sendo assim, caso deixe a equipe, o jogador deve prolongar sua estadia até o final do mundial, no dia 8 de setembro. De acordo com a HLTV, cold planejava jogar apenas a BLAST Pro Series Los Angeles e a IEM Chicago e, para o StarLadder Berlin Major, ele daria lugar a zews, treinador da equipe. Questionado sobre isso por um seguidor, cold afirmou que se ofereceu para disputar o major, mas seus companheiros é que não aceitaram.

A situação de coldzera segue sem esclarecimentos oficiais desde o domingo. No Instagram, o jogador afirmou que se pronunciará quando fosse autorizado pela MIBR.