Marcelo “coldzera” David é sem dúvidas um dos maiores jogadores da história do CS:GO. Recentemente, o bicampeão de major e eleito duas vezes melhor do mundo decidiu deixar a MIBR e parar de competir ao lado de nomes como Gabriel “FalleN” Toledo e Fernando “fer” Alvarenga com o objetivo de procurar novas experiências no cenário internacional.

Com as grandes equipes prestes a disputar o StarLadder Berlin major, o futuro de coldzera ainda é incerto. Após o fim do mundial, os times que não alcançarem o resultado esperado devem surgir como principais interessados em dar uma nova casa para o brasileiro de 24 anos.

O Mais Esports preparou uma reportagem especial selecionando algumas equipes que, por diversos fatores, podem ter coldzera em suas line-ups após o fim do major.

FaZe Clan

Nikola “NiKo” Kovač, jogador da FaZe Clan (Foto: DreamHack)

Por diversos fatores e indicações, o destino que parece ser o mais lógico para coldzera é a FaZe Clan. A procura de um quinto jogador fixo desde a saída de Finn “karrigan” Andersen no fim do ano passado, a organização norte-americana montaria uma das duplas mais mortais dos servidores caso o brasileiro se juntasse ao rifler Nikola “NiKo” Kovač, a principal estrela da equipe e um dos melhores do mundo.

Em entrevistas, o brasileiro já havia mostrado seu desejo de um dia jogar ao lado de Niko e os dois são grandes amigos fora dos servidores. Porém, o principal empecilho que pode travar as negociações com a organização norte-americana, que é conhecida por não costumar investir muito dinheiro em sua equipe de CS, é a alta multa de coldzera.

Caso a negociação venha a se concretizar, coldzera muito provavelmente entraria no lugar do polonês Filip “NEO” Kubski, que faz parte da FaZe desde maio e está atuando como complete.

Ninjas in Pyjamas

Patrik “f0rest” Lindberg, jogador da NiP (Foto: HLTV)

Outro possível destino de coldzera seria a Ninjas in Pyjamas. Mesmo costumando manter uma tradição de ter uma line-up 100% sueca, a possível contratação de um jogador do nível de coldzera pode acabar convencendo a organização a tentar novamente ter um estrangeiro no time, como foi o caso do finlandês Aleksi “allu” Jalli, hoje na ENCE. Se comunicando em inglês, a NiP teve uma das melhores fases de sua história, sendo vice campeã de major e conseguindo chegar no top 3 de diversos eventos internacionais, provando que o idioma não seria um ponto tão negativo. Para o brasileiro, formar um trio com Fredrik “REZ” Sterner e Patrik “f0rest” Lindberg seria interessante e o colocaria em uma equipe com um forte poder de fogo.

Se isso acabar acontecendo, coldzera entraria na Ninjas in Pyjamas no lugar de Christopher “GeT_RiGhT” Alesund, que ao que tudo indica pode deixar a organização após o StarLadder Berlin major.

mousesports

minor
Özgür “woxic” Eker atuando pela mousesports (Foto: HLTV)

Mesmo com o sucesso recente que a mousesports vem tendo, a ida de coldzera para a equipe não seria algo tão improvável. Na organização europeia, o brasileiros teria em Finn “karrigan” Andersen um dos melhores in game leaders do CS e algumas das maiores promessas do cenário ao seu lado, Özgür “woxic” Eker, David “frozen” Čerňanský e Robin “ropz” Kool.

Antes de formar o seu novo quinteto em março, a organização alemã havia colocado Chris “chrisJ” de Jong no banco de reservas para depois de muitas conversas recoloca-lo no time, um sinal de que caso um jogador do porte de coldzera demonstre ter interesse de se juntar a mousesports, o holandês seria a primeira opção para dar lugar ao brasileiro.

NRG

Foto: HLTV.org

Mesmo sendo um destino um pouco menos provável, a NRG surge como uma das equipes que pode ter coldzera em seu elenco caso não consiga ir longe no StarLadder Berlin major. A transferência faz sentido para ambos os lados. Coldzera teria um elenco pronto para disputar os principais torneios com um awper de elite no búlgaro Cvetelin “CeRq” Dimitrov e jogadores em ascensão como Vincent “Brehze” Cayonte e Ethan “Ethan” Arnold. Já a organização conseguiria um jogador diferenciado, que poderia ajudar o time a finalmente chegar ao topo do Counter-Strike.

Dois fatores podem impedir a negociação se de concretizar e colocam coldzera um pouco longe de NRG. O primeiro deles é que a organização trocou de líder recentemente, com Damian “daps” Steele saindo para a entrada de Peter “stanislaw” Jarguz e talvez a equipe ainda queira esperar para ver se o jogo do quinteto encaixará antes de tentar mudar novamente. A segunda seria quem deixaria o time para dar lugar ao brasileiro. Estatisticamente, Tarik “tarik” Celik seria a escolha ideal, porém o o norte-americano faz parte do time a menos de seis meses e pode ainda não ter atingido todo seu potencial.

Criar um time do zero em uma nova organização

Mesmo sendo um tiro no escuro, criar uma nova equipe em uma nova organização também seria uma opção para coldzera. Recentemente, grandes marcas deram sinais que estão interessadas em voltar a investir no Counter-Strike como a Team SoloMid e a 100Thieves, que com certeza gostariam de iniciar sua trajetória no FPS com um jogador do calibre do brasileiro em seu elenco.

Mesmo isso sendo uma possibilidade, essa escolha seria a que demandaria mais trabalho para coldzera retornar ao topo. Criar um time do zero não é uma tarefa fácil e nem todo jogador está disposto a tentar montar um elenco com agentes livres ou consegue convencer os melhores atletas do mundo a se juntarem a eles em um novo projeto. Mesmo com as adversidades, a possibilidade não deixa de ser real.