O Playerunknown’s Battlegrounds, PUBG, continua fazendo sucesso em todo o mundo. Recentemente, o game que estará presente pela primeira vez em uma edição da Intel Extreme Masters, atingiu a marca de 15 milhões de vendas e 2,1 milhões de pessoas online.

O criador do jogo, Brendan Greene, está no Brasil participando da Brasil Game Show e conversou com o Mais e-Sports sobre o futuro competitivo do PUBG e também sobre o sucesso inesperado do game até o momento.

Segundo Greene, o sucesso global do PUBG não era esperado por ele, já que o mesmo acreditava que o jogo teria como base os mercados americano e europeu. Para o playerunknown, como também é conhecido, a maneira como o jogo se difundiu e vem conquistando o público é surreal.

Brendan Greene durante apresentação na E3. Foto: Divulgação.

“Por Deus não (sobre esperar o sucesso do jogo). Eu não esperava que o PUBG iria vender 15 milhões de cópias em 6 meses de jeito nenhum e nem que iríamos colocar 2,1 milhões de pessoas online. Está sendo surreal ver o crescimento do jogo em todo o mundo, nós não esperávamos por isso, já que acreditávamos que os nossos mercados seriam o americano e o europeu”, afirma Greene.

Quando questionado sobre o potencial do PUBG como e-sport, Brendan revelou que ainda não vê a sua criação pronta para ser um esporte eletrônico, mas que ele quer sim ver o PUBG como tal. No entanto, para que isso aconteça, é necessário criar a comunidade do jogo, buscar um formato ideal de competição e a IEM será outra oportunidade de testar um novo formato para o battle royal como e-sport.

Já em relação aos vários times de PUBG criados por algumas organizações, Greene disse que gostaria que as pessoas fossem “com mais calma até que nós possamos ter algo mais concreto como e-sport”. Porém, eles não podem fazer nada para parar as organizações, mas frisou que a sua empresa “fará as coisas em seu próprio tempo”.

“O PUBG como e-sport estará pronto quando for para ser, nós não queremos acelerar isso. Isso não é uma corrida para gente é uma maratona. Pode levar um ano para que nós possamos completar tudo que a gente precisa fazer para que isso se torne um e-sport de verdade, mas nós queremos fazer isso”, diz o criador do PUBG.

Para finalizar, o Mais e-Sports perguntou a Brendan Greene sobre o fato da Luminosity Gaming ter montado uma line-up brasileira de PUBG e pela resposta, dá pra notar que o criador do jogo acredita em um sucesso próximo da equipe formada por Tecnosh, aXt, yeTz e SkipNhO.

Luminosity Gaming anunciou a line-up brasileira de PUBG no dia 18 de setembro. Foto: Divulgação.

“Eu estou assustado pelos outros times. Já foi provado que os jogadores brasileiros são bons no que fazem, você vê a SK Gaming que tem alguns dos melhores jogadores de Counter Strike do mundo. Eu acho que os outros times devem ficar preocupados, porque os brasileiros são muito apaixonados pelo que fazem, então eu mal posso esperar para ver o que a Luminosity pode fazer”, conta Greene.