A Astralis já começou com o pé direito na segunda etapa do FACEIT Major London 2018, onde  venceu a Natus Vincere por 16-14. A equipe conseguiu a classificação na Challengers Stage e agora está jogando a Legends Stage. Após a vitória, Andreas ‘Xyp9x’ Højsleth falou um pouco sobre sua performance, evolução recente, partida contra a Na’Vi e muito mais. Confira:

Na etapa anterior, você teve várias performances instáveis. O que você acha que fez isso acontecer?

Xyp9x: Eu acho que é difícil de se preparar para esses times do qualificatório, eles normalmente não jogam muitas vezes. Não têm o mesmo estilo de jogo que os times tier 1Eles têm um estilo de jogo diferente e nós temos que nos adaptar e isso é muito difícil quando já se está incorporado a um modelo de jogo. Por isso pudemos ver tantas surpresas que aconteceram nessa primeira rodada de jogos.

É claro que foram várias zebras que aconteceram, mas eu acho que é porque os times não estão acostumados com esse ambiente e os ‘New Challengers’ estão aqui por muito tempo, já conhecem os computadores e essas coisas. Eu acho que é por essa razão que essas equipes que vieram do qualificatório saíram com a vitória.

Zonic (coach da Astralis), disse que você estava fora do jogo depois da pausa de temporada. Há algo que ainda te incomoda ou você evoluiu desde então?

Xyp9x: Eu sinto que evoluí, definitivamente. Eu não me senti tão fora do jogo, pra ser sincero. Óbvio, houve algumas dificuldades depois da parada, acho que todo time tem isso e que comigo não foi nada fora do padrão.

Vocês tiveram uma partida muito apertada contra a Na’Vi, como sempre. Com que pensamento vocês entraram na partida e como vocês se prepararam para ela?

Xyp9x: Contra a Na’Vi e especialmente na Inferno, são sempre jogos muito mentais porque eles sempre se juntam. Somente em um ou dois rounds como CT que eles não fizeram isso. Então, nós nos preparamos muito para isso e Gla1ve lidou muito bem com isso e fez boas chamadas, fazendo com que eles se questionassem onde estávamos o tempo todo.

Por exemplo, no antieco, nós não simplesmente fomos para a B. Nós mandamos um jogador para ver onde eles se juntaram e depois agimos. Fizemos muito bem o nosso trabalho de casa, que sempre fazemos, mas dessa vez estávamos mais focados nesses stacks.

Então foi com essa tática que vocês agiram para fechar a partida? Saber qual era a formação deles?

Xyp9x: Sim. Definitivamente eu diria que a chave da partida foi saber como eles estavam armados, onde estavam juntando e quais seriam as chamadas deles.

Deve ser um alívio evitar o grupo dos times 0-1 que está parecendo bem complicado agora.

Xyp9x: Sim, mas tem uma razão para os times terem ganhado, sabe? Eu disse isso numa entrevista mais cedo. Provavelmente essa é a condição que todos estamos acostumados. Não creio que ter vencido ou perdido influencie tanto a próxima partida.

A entrevista foi feita pela HLTV e teve sua tradução para o português feita pelo Mais e-Sports.

Você pode acompanhar a cobertura completa do FACEIT Major London 2018 aqui no Mais e-Sports.