As 13 horas do dia 25 do mês 5 inicio- se mais uma temporada do League of Legends nacional. Após muita expectativa, os times mostraram a primeira impressão para seus torcedores de como vão se comportar. E como falam que a primeira impressão é a que fica, nada mais justo que fazer um breve apanhado dessa rodada.

INTZ x Keyd

A primeira partida do atirador Esa e do suporte Alocs nesse CBLOL teve sua atmosfera rodeada de expectativa entre os jogadores, com um se afirmando e o outro tendo seu primeiro ponto de interrogação levantado. Com o Revolta mostrando presença e impondo seu ritmo tendo feito dois dragões aos 18 minutos de partida e levado t2 do mid aos 20 minutos a Keyd conseguiu fazer boas rotações e, com sua composição com bom controle de grupo, boas lutas. O time da INTZ tentou resistir a pressão imposta parando um barão e ganhando lutas quando a Keyd se estendia.

No geral todo time da Keyd fez uma boa partida, por parte da INTZ Yang, Tockers e Micão fizeram um bom jogo mantendo sua regularidade; Jockster e Alocs mostraram um pouco de desentrosamento, um com a posição e outro com seu companheiro de line.

Aos 30 o jogo já estava encaminhado para a vitória com dois inibidores abertos e apenas uma torre do Nexus de pé.

No segundo jogo, embora mais pegado com dragões mais disputados, lutas mais equilibradas, a boa rotação se mostrou fundamental na vitória. O ritmo de ganks no inicio, pressão simultânea nas 3 rotas após o primeiro barão foram exemplo de domínio na partida.

Esse 2-0 para Intz não quer dizer o final do campeonato. Alguns encaram até como um bom sinal para que haja mais treinos e consecutivamente maior adaptação por parte dos jogadores. Nenhuma das partidas foi um stomp, entretanto o controle por parte da Keyd foi notável. Enquanto um fica tranquilo pra essa semana o outro procura se ajustar.

CNB x INTZ Red

Os meninos de Djoko enfrentaram uma INTZ Red que mostrou uma recuperação em relação a saída do capitão Alocs.

Duelo que foi marcado por equilibro e mostrou o tamanho do potencial dessas duas equipes.

O primeiro jogo esboçou uma vantagem da Intz Red: 3×1 em dragões e boas lutas encaixadas. Entretanto a virada veio quando o objetivo das lutas dos Blummers foi alcançado e a proteção de seu ad carry Skyer com sua Jinx, que fez justiça a essa proteção sendo destaque do seu time, foi realizada com sucesso.

No segundo, com Aoshi pickando uma Rek Sai top, a CNB não conseguiu emplacar o objetivo que a composição trazia e a INTZ Red colocou seguidas lutas boas e encerrou o joguinho com 23 abates contra 5.

O jogo que trouxe um duelo interessante na mid line que já vinha se encontrando desde o Circuito Desafiante com  Yoda/Bruce, com o meio da INTZ Red se saindo melhor com sua LeBlanc pra cima do Kassadin do Yoda.

E como dito no início, essas duas equipes têm um potencial enorme de crescimento durante esse segundo split do campeonato. Só nos resta saber se essa expectativa será retribuída com resultados.

Kabum O. x G3X

A decepção do primeiro split, a Kabum vinha com a responsabilidade de fazer um split digno do time que foi para o mundial a menos de 6 meses atrás e do outro lado vinha a g3x, recém classificada do Circuito Desafiante, contava também com Krow e TheFoxz, buscava um bom início.

As duas equipes tinham que mostrar ao que vieram e a vantagem era um fator que quase não existiu em determinadas partes da partida.

Pelo lado da Kabum, não teve nada de decepção. O time não parecia aquele apático anterior. Com Team Fighters equilibradas, Minerva brilhando de Jinx, Tinowns mostrando um pouco daquele jogador que foi ao mundial.

Já na G3X, as surpresas eram boas. TheFoxz com sua Kalista e Professor com seu Thresh fizeram uma primeira partida exepcional junto com a LeBlanc do Taeyeon.

Enquanto a Kabum se dava melhor nas lutas e barões, g3x focava nos dragões e pegar alguém fora de posição. Chegando no 5° aos 56 minutos mesmo com seu Nexus exposto, após uma luta desastrosa por parte da Kabum.

O jogo foi decidido em uma luta pelo barão aos 59 minutos depois de uma ult do gnar controlado pelo Zantins em que o stun deu espaço para The Foxz dar triple e garantir o jogo para G3X.

No segundo jogo, o primeiro ainda pesava. Abatidos por causa da partida perdida, Kabum não conseguiu reagir bem as investidas de Taeyeon, ults do Krow e o Nautilus do Professor, e o jogo acabou aos 30 minutos.

E a equipe estreante mina o ânimo incial da Kabum fazendo um 2-0 incrivel com suas tomadas de decisões.

Pain x Kabum Black

A partida que, para muitos, era dada como 2-0 para a Pain mostrou que o equilíbrio irá reinar nesse segundo split do CBLOL. O jogo era rodeado por pontos de interrogações pelo lado da Kabum  e expectativa do lado da Pain, como lidariam com as mudanças de topo, a saída do Goku perto do início da competição. Outra dúvida era como a revelação da temporada passada Matsukaze iria lidar com a pressão e se Vash (top line adaptado no mid no lugar do Goku) daria conta do recado.

E a confirmação veio… E como veio. Quadra Kill do Element, com direito a penta roubado pelo Danagorn, Vash fazendo uma partida espetacular com a Anivia, Matsukaze dando um show de posicionamento.

Isso acarretou Ace para a Kabum, 10/1 e uma Pain perdida.

Esse cenário mudou quando SirT fez um roubo de Barão e mesmo com seu time levando quase outro Ace segurou bem o jogo.

O jogo por instantes mudou de lado. Com outro Barão feito pela Pain, lutas bem encaixadas, Brtt jogando muito bem de Sivir, parecia que iria vir uma virada.

Mas essa esperança veio por água abaixo quando a Kabum aplicou todo seu combo perfeitamente.

Kabum Black vencia a favorita Pain.

No segundo jogo, a Pain mostrou que o status de favorita não era por nada.

Um controle tático total da partida, o Gnar que na outra partida ficou gigante foi totalmente anulado, Kami com sua Oriana não dando espaço para o Vladimir do Vash, lutas bem aplicadas e uma vitória para garanti um ponto na tabela.

De fato será um CBLOL embolado com diversas possibilidades de resultados em todas as partidas não dispensando as boas e velhas surpresas.

Ainda é muito cedo para se formar uma ideia concreta do que as equipes são capazes. A janela para evolução é muito grande e existe sempre a chance dos times terem alguma mudança ao decorrer do campeonato. De certeza só fica que essa temporada vai ser a mais equilibrada que já tivemos e quem ganha com isso somos nós e o cenário brasileiro de League of Legends.

As 13 horas do dia 25 do mês 5 inicio- se mais uma temporada do league of legends nacional. Após muita expectativa, os times mostraram a primeira impressão para seus torcedores de como vão se comportar. E como falam que a primeira impressão é a que fica, nada mais justo que fazer um breve apanhado dessa rodada.

INTZ x Keyd

A primeira partida do atirador Esa e do suporte Alocs nesse CBLOL teve sua atmosfera rodeada de expectativa entre os jogadores, com um se afirmando e o outro tendo seu primeiro ponto de interrogação levantado. Com o Revolta mostrando presença e impondo seu ritmo tendo feito dois dragões aos 18 minutos de partida e levado t2 do mid aos 20 minutos a Keyd conseguiu fazer boas rotações e, com sua composição com bom controle de grupo, boas lutas. O time da INTZ tentou resistir a pressão imposta parando um barão e ganhando lutas quando a Keyd se estendia.

No geral todo time da Keyd fez uma boa partida, por parte da INTZ Yang, Tockers e Micão fizeram um bom jogo mantendo sua regularidade; Jockster e Alocs mostraram um pouco de desentrosamento, um com a posição e outro com seu companheiro de line.

Aos 30 o jogo já estava encaminhado para a vitória com dois inibidores abertos e apenas uma torre do Nexus de pé.

No segundo jogo, embora mais pegado com dragões mais disputados, lutas mais equilibradas, a boa rotação se mostrou fundamental na vitória. O ritmo de ganks no inicio, pressão simultânea nas 3 rotas após o primeiro barão foram exemplo de domínio na partida.

Esse 2-0 para Intz não quer dizer o final do campeonato. Alguns encaram até como um bom sinal para que haja mais treinos e consecutivamente maior adaptação por parte dos jogadores. Nenhuma das partidas foi um stomp, entretanto o controle por parte da Keyd foi notável. Enquanto um fica tranquilo pra essa semana o outro procura se ajustar.

 

 

 

 

 

 

CNB x INTZ Red

 

Os meninos de Djoko enfrentaram uma INTZ Red que mostrou uma recuperação em relação a saida do capitão Alocs.

Duelo que foi marcado por equilibro e mostrou o tamanho do potencial dessas duas equipes.

 

O primeiro jogo esboçou uma vantagem da Intz Red: 3×1 em dragões e boas lutas encaixadas. Entretanto a virada veio quando o objetivo das lutas dos Blummers foi alcançado e a proteção de seu ad carry Skyer com sua Jinx, que fez justiça a essa proteção sendo destaque do seu time, foi realizada com sucesso.

 

No segundo, com Aoshi pickando uma Rek Sai top, a CNB não conseguiu emplacar o objetivo que a composição trazia e a INTZ Red colocou seguidas lutas boas e encerrou o joguinho com 23 abates contra 5.

O jogo que trouxe um duelo interessante na mid line que já vinha se encontrando desde o Circuito Desafiante com  Yoda/Bruce, com o meio da INTZ Red se saindo melhor com sua LeBlanc pra cima do Kassadin do Yoda.

 

E como dito no início, essas duas equipes têm um potencial enorme de crescimento durante esse segundo split do campeonato. Só nos resta saber se essa expectativa será retribuída com resultados.

 

Kabum O. x g3x

A decepção do primeiro split, a Kabum vinha com a responsabilidade de fazer um split digno do time que foi para o mundial a menos de 6 meses atrás e do outro lado vinha a g3x, recém classificada do Circuito Desafiante, contava também com Krow e TheFoxz, buscava um bom início.

 

As duas equipes tinham que mostrar ao que vieram e a vantagem era um fator que quase não existiu em determinadas partes da partida.

Pelo lado da Kabum, não teve nada de decepção. O time não parecia aquele apático anterior. Com Team Fighters equilibradas, Minerva brilhando de Jinx, Tinowns mostrando um pouco daquele jogador que foi ao mundial.

Já na G3X, as surpresas eram boas. TheFoxz com sua Kalista e Professor com seu Thresh fizeram uma primeira partida exepcional junto com a LeBlanc do Taeyeon.

Enquanto a Kabum se dava melhor nas lutas e barões, g3x focava nos dragões e pegar alguém fora de posição. Chegando no 5° aos 56 minutos mesmo com seu Nexus exposto, após uma luta desastrosa por parte da Kabum.

O jogo foi decidido em uma luta pelo barão aos 59 minutos depois de uma ult do gnar controlado pelo Zantins em que o stun deu espaço para The Foxz dar triple e garantir o jogo para G3X.

No segundo jogo, o primeiro ainda pesava. Abatidos por causa da partida perdida, Kabum não conseguiu reagir bem as investidas de Taeyeon, ults do Krow e o Nautilus do Professor, e o jogo acabou aos 30 minutos.

 

E a equipe estreante mina o ânimo incial da Kabum fazendo um 2-0 incrivel com suas tomadas de decisões.

 

Pain x Kabum Black

 

A partida que, para muitos, era dada como 2-0 para a Pain mostrou que o equilíbrio irá reinar nesse segundo split do CBLOL. O jogo era rodeado por pontos de interrogações pelo lado da Kabum  e expectativa do lado da Pain, como lidariam com as mudanças de topo, a saída do Goku perto do início da competição. Outra dúvida era como a revelação da temporada passada Matsukaze iria lidar com a pressão e se Vash (top liner adaptado no mid no lugar do Goku) daria conta do recado.

 

E a confirmação veio… E como veio. Quadra Kill do Element, com direito a penta roubado pelo Danagorn, Vash fazendo uma partida espetacular com a Anivia, Matsukaze dando um show de posicionamento.

Isso acarretou Ace para a Kabum, 10/1 e uma Pain perdida.

 

Esse cenário mudou quando SirT fez um roubo de Barão e mesmo com seu time levando quase outro Ace segurou bem o jogo.

 

O jogo por instantes mudou de lado. Com outro Barão feito pela Pain, lutas bem encaixadas, Brtt jogando muito bem de Sivir, parecia que iria vir uma virada.

Mas essa esperança veio por água abaixo quando a Kabum aplicou todo seu combo perfeitamente.

Kabum Black vencia a favorita Pain.

 

No segundo jogo, a Pain mostrou que o status de favorita não era por nada.

Um controle tático total da partida, o Gnar que na outra partida ficou gigante foi totalmente anulado, Kami com sua Oriana não dando espaço para o Vladimir do Vash, lutas bem aplicadas e uma vitória para garanti um ponto na tabela.

 

De fato será um CBLOL embolado com diversas possibilidades de resultados em todas as partidas não dispensando as boas e velhas surpresas.

 

 

Ainda é muito cedo para se formar uma ideia concreta do que as equipes são capazes. A janela para evolução é muito grande e existe sempre a chance dos times terem alguma mudança ao decorrer do campeonato. De certeza só fica que essa temporada vai ser a mais equilibrada que já tivemos e quem ganha com isso somos nós e o cenário brasileiro de League of Legends.