A paiN Gaming sofreu sua quarta derrota consecutiva no CBLoL 2018 e assim permanece na penúltima colocação da competição, na frente apenas da Team oNe. Matematicamente a equipe ainda tem chances de se classificar para a escalada da competição, mas terá que vencer suas duas próximas séries e contar com uma combinação de resultados por parte de outros times do torneio.

O Mais e-Sports conversou com César Bueno, Mental Coach da paiN Gaming, que falou um pouco sobre como está sendo o trabalho com os jogadores da equipe.

“Eu acredito os jogadores vem trabalhando bastante na gerência dos estados emocionais, no controle da ansiedade. No primeiro jogo eles vieram com muita vontade mas tiveram um early game desafiador e a comunicação dentro de jogo não foi focada numa boa formulação de objetivos para a vitória. O que eles consertaram no segundo foi ter uma comunicação bem organizada que é o que a gente vem trabalhando, eles gerenciaram e conseguiram tomar as ações mais assertivas, e no terceiro jogo foi um desafio que acabou pegando também na falha de comunicação, eles conseguiram roubar um barão mas não conseguiram construir vantagem em cima disso. Eu acredito que o trabalho que tenho feito com eles é muito focado na jornada e não só nos resultados, não é só depositar felicidade lá mas sim a cada dia conseguir mudar o estado, conseguir a gerência das emoções nesse processo de construção”

César também falou um pouco sobre como será o trabalho com os jogadores para as próximas semanas.

“Eu acredito que o trabalho será bastante dentro de um processo de tornar-se audacioso, não aventureiro, mas audacioso em vir com um jogo mais agressivo, com um mindset mais agressivo, vir realmente construindo um passo para a vitória que é o que a gente precisa nessas próxima partidas para conseguirmos nos manter na competição e ainda ter uma chance de entrar na escalada, tenho fé que nós temos condições para nessas duas partidas fazer algo especial para agradar a torcida também na escalada”

O Mental Coach complementou explicando as diferenças entre ser audacioso e ser aventureiro, e como isso se aplicaria no trabalho com a paiN para as próximas rodadas.

“Audacioso é aquele que consegue estruturar suas decisões, aquele que para e se prepara não importa quantos jogos ou campeonatos ele já tenha ganho, a cada jogo ele vai se preparar emocionalmente na gerência dos estados, e aventureiro é que sai fazendo como o padre dos balões fez no Paraná, que colocou os balões sem saber ao certo como manipular aquilo, não é só o desejo da vitória mas principalmente querer aquilo que se deseja e se organizar para estrategicamente obter um resultado consistente”

César entrou na paiN Gaming no começo de Janeiro. Foto: Riot Games

Para finalizar, César comentou sobre como está sendo o trabalho com a paiN no pós-jogo, principalmente no momento que a equipe vive onde depois da vitória na primeira semana, não conseguiu outros bons resultados no CBLoL 2018.

“Nós temos focado em três frentes bem importantes, uma delas é a gerência dos estados emocionais deles, eles conhecerem como é o funcionamento da mente inconsciente, como gera um comportamento, trabalhar a comunicação que afere o resultado o estado interno deles. Temos uma frente cognitiva com ferramentas de neurociência e filosofia para que infira diretamente no processo de comunicação, para que eles tenham entre eles um time saudável e conheçam exatamente a ética e a inteligência coletiva para que vem para a boa manifestação do grupo, e a terceira frente é realmente vencer e superar, foi o trabalho que eu fiz nas últimas três semanas pelos resultados que tivemos, foi a superação de medos, traumas ou objeções que impedissem eles de chegarem aqui com o resultado da gerência da ansiedade controlada, essa minha parte com eles é superar os desafios dos resultados dos últimos jogos e coloca-los preparados para a próxima partida”

O próximo confronto da paiN Gaming será contra a ProGaming no dia 3 de março. Você pode conferir a cobertura completa do CBLoL 2018 aqui no Mais e-Sports.

*Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.