Um dos maiores nomes do e-Sport no Brasil, Felipe “brTT” Gonçalves se uniu ao Flamengo no final de 2017 para buscar a sonhada vaga no CBLOL.

Com a vitória contra a Team One na Série de Acesso, o Flamengo garantiu a vaga na elite do LOL brasileiro. Conversamos com brTT após a vitória. Confira:

Se inscreva no canal do Mais e-Sports, ative os sininho e não perca as próximas entrevistas:

brTT: “Em nenhum momento passou pela cabeça que não íamos subir.”

Como foi a sensação de jogar novamente no estúdio do CBLOL?

brTT: Muito bom saber que estou jogando no Templo do League of Legends brasileiro. É muito bom, eu já sou muito familiarizado já, por mais que seja um estúdio novo, estar jogando onde o pessoal do CBLOL joga e tal… Estou bastante acostumado.

Como foi para você ter disputado esse Circuito Desafiante e estar agora de volta para o CBLOL?

brTT: Eu acho que a trajetória no Circuito foi um pouco conturbada né? Já que não esperávamos perder a final para o time da IDM. A gente realmente imaginava que estávamos muito superiores à eles, ainda continuo achando que nós somos superiores a eles mas eles foram superiores naquela série por diversos fatores. Mas tenho certeza que nós temos condição de vencer eles em uma MD5. Eu diria que para mim foi muito bom pois deu para ver diversos pontos negativos no meu gameplay, o que eu poderia melhorar. Nessas duas semanas eu consegui trabalhar bastante para esse jogo contra a Team One. Deu para mostrar no jogo um nível maior.

Foto: Riot Games

Em algum momento você chegou a pensar que o Flamengo não iria subir?

brTT: Não.. Em nenhum momento passou pela cabeça que não íamos subir. Claro, passou pela cabeça que seria muito difícil. Ainda mais depois de ter perdido a final para IDM, foi um baque bem grande que a gente levou. Nós realmente ficamos muito preocupados mas não pensamos que não iríamos subir em nenhum momento.

Algum recado final?

brTT: Quero agradecer à todos os filhos e a nação rubro negra. A nação do Flamengo toda que torceu. Pode ter certeza que eu senti a energia positiva que vocês passaram para mim e consegui colocar ela dentro de jogo.

Leia também: Para Ayel, inconsistência, problemas de confiança e afobação foram os inimigos da INTZ nesse split

*Entrevista realizada em parceria com Evelyn Mackus, repórter do Mais E-Sports.