O número 1 do ranking mundial de Overwatch é brasileiro. Gabriel “Snow” Ceregatto, de 17 anos, mora em Rio Claro (SP) e chegou ao topo da tabela a dois dias, deixando para trás jogadores famosos no cenário, como os suecos Andreas “Nevix” Karlsson e Kevyn “TviQ” Lindström. O brasileiro atualmente joga pela Lightning Storm e espera que a exposição por ser líder mundial abre portas para ele e para sua equipe aqui no Brasil.

O Mais e-Sports entrevistou a revelação brasileira de Overwatch, que tem como personagens favoritos Hanzo, Genji e Reaper e tem como objetivo se manter no topo do ranking até o final da temporada. Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Mais e-Sports: Gabriel, como é ser líder do mundo no Overwatch?

Gabriel: Não é muito diferente de estar no rank 70 (risos). A vontade de jogar é a mesma, a diferença é que agora só tenho um receio maior de cair de rank.

M: Você chega a acompanhar o ranking mundial ou ficou sabendo que era o primeiro sem querer? Como foi pra você saber que chegou na primeira posição?

G: Eu acompanho sim. Foi bastante gratificante né. Até aquele momento o top do mundo era uma conta smurf do Nevix, fui a primeira pessoa que chegou no rank dele, apesar de não ter sido o primeiro a pegar rank 90.

M: E você acredita que o fato de você ser o melhor do ranking mundial vai abrir portas pra você? Principalmente na hora de buscar patrocínio pra sua equipe de Overwatch?

G: Eu espero que sim né, eu sei que está trazendo bastante exposição pra minha stream. Eu comecei a streamer quando estava rank 80 se eu não me engano, aí tive um pouco de sorte, porque o jogador sueco TviQ me deu dois hosts, aí minha média de viewers subiu de 10 para 170 a 200 pessoas.

M: Você joga em algum time? Quais são seus personagens favoritos?

G: Eu jogo na Lightning Storm, éramos da 2Kill antes de sairmos da organização. Meus personagens favoritos são Hanzo, Genji e Reaper.

M: Agora que você é o número 1 do ranking mundial, qual é a sua meta? O que pretende com isso?

G: Pretendo manter até o final da season. Agora vou dedicar mais tempo à estudar o jogo do que jogar a rankeada propriamente dita.

M: E como você vê o futuro do Overwatch no cenário competitivo?

G: Eu acho que Overwatch é um jogo que tem potencial pra ser um e-sport de sucesso. A comunidade é apaixonada pelo jogo e campeonatos já estão surgindo dentro e fora do Brasil. Espero que as organizações grandes percebam que o jogo tem futuro e invistam nele.

M: Ultimamente vimos transmissões de campeonato de League of Legends e CS:GO na televisão. Você acha que o Overwatch tem potencial pra isso? Não acha o jogo muito confuso para quem não acompanha?

G: O mesmo pode ser dito de LoL. Alguém que nunca viu uma partida de LoL não vai entender pra que o Baron serve, qual a função do jungler e essas coisas logo de cara. Inclusive, acho que ninguém tem uma visão clara de um e-sport num primeiro contato.

Para você que joga Overwatch e quer conferir as habilidades do Gabriel, a stream dele é: https://www.twitch.tv/isnoul.