Foi realizada nesse sábado (15) a grande final da BLAST Pro Series Lisboa, onde a Astralis enfrentou a Natus Vincere em uma MD3. Os dinamarqueses levaram a melhor, vencendo a série por 2-1 nos mapas Overpass (7-16), Cache (16-9) e Dust 2 (16-4). Com a vitória a Astralis levou para casa 125.000 dólares e levantou seu décimo troféu de 2018.

O MVP do torneio foi o rifler Emil “Magisk” Reif

Astralis x Natus Vincere

Escolha da Natus Vincere: Overpass
Escolha da Astralis: Cache
Decider: Dust 2

O primeiro mapa foi Overpass, e a Natus Vincere começou do lado TR. A Astralis foi quem saiu na frente, conseguindo vencer o primeiro pistol, mas o forçado dos russos e ucranianos foi o suficiente para empatar o placar em 1-1 e quebrar a economia dos dinamarqueses. Com a vantagem econômica, a NaVi rapidamente abriu uma vantagem de 5-1 no placar. Conseguindo fazer boas execuções e contando com uma ótima atuação do Aleksandr “s1mple” Kostyliev, a Natus Vincere virou de lado vencendo por 11-4. Jogando agora de CT, a NaVi ainda conseguiu vencer o segundo pistol e o anti-eco seguinte, aumentando a vantagem para 13-4. Sem conseguir reagir, a Astralis acabou sendo derrotada por 16-7, e a Natus Vincere abriu 1-0 na série.

Na Cache, mais uma vez a Natus Vincere começou com tudo, abrindo 3-0 após vencer o primeiro pistol e os anti-ecos seguintes, porém diferentemente do primeiro mapa, a Astralis respondeu de imediato, empatando o jogo em 3-3. A troca de rodadas durou mais um pouco, e a partida chegou a ficar empatada em 5-5, porém a Astralis começou a engrenar, e virou de lado vencendo por 10-5. A NaVi conseguiu uma sobrevida no mapa após vencer o segundo pistol e diminuir a desvantagem para 10-8, mas assim que os dinamarqueses tiveram dinheiro para comprar o equipamento, a dominância voltou, e a Astralis venceu o jogo por 16-, empatando a série em 1-1.

O mapa decisivo foi Dust 2, e a Astralis começou com o pé direito, contando com um 4K do Peter “dupreeh” Rasmussen para vencer o primeiro pistol e abrir uma vantagem de 2-0 no placar. A Natus Vincere respondeu, e não só empatou o jogo em 2-2 como virou para 3-2. Os dinamarqueses começaram a encaixar seu jogo, e passaram a impedir todos os avanços da NaVi, fosse no Bomb A ou no Bomb B, e viraram de lado vencendo por uma gigantesca vantagem de 12-3. A Natus Vincere ainda conseguiu garantir o segundo pistol , mas de nada adiantou, e a Astralis venceu o mapa por 16-4, fechando a série em 2-1 e se tornando os grandes campões da BLAST Pro Series Lisboa.

Veja como ficou a classificação final da BLAST Pro Series Lisboa:

1° – Astralis: 125.000 dólares
2° – Natus Vincere: 50.000 dólares
3° – Cloud 9: 25.000 dólares
4° – MIBR: 15.000 dólares
5° – FaZe Clan: 10.000 dólares
6° – Ninjas in Pyjamas: 5.000 dólares

A BLAST Pro Series aconteceu em Lisboa, Portugal nos dias 14 e 15 de dezembro, e contou com 250.000 dólares de premiação. A próxima parada da BLAST será em São Paulo, em março de 2019.