Será que eu explodi a dinamite mesmo? Melhor conferir de novo… (Foto: Reprodução/Blizzard)

Entrada relativamente improvisada… Surge um homem de meia-idade, carismático, entusiasmado com as notícias que estariam por vir. Jeffão da Massa, como popularmente é conhecido a personalidade mais importante por trás de Overwatch, Kaplan foi enigmático, sucinto, caloroso e genuíno ao falar do que o mundo conheceria, após alguns minutos, como Ashe. (E Bob, claro!)

Com direito a todas as referências a filmes de Velho Oeste possíveis, incluindo citações dos próprios universos Blizzard, McCree desenrola uma cena ímpar com sua ex-parceira, colocando na mente de todos que estavam lá – incluindo este caster que vos fala – e de todos em casa a seguinte questão: QUE PORR… QUEM É O HERÓI NOVO? E, então, eis que Ashe dá o ar da graça, com seu kit formado por habilidades extremamente divertidas e de difícil execução, transformando sua jogabilidade em uma viagem adaptativa por um mar de opções, sejam elas ofensivas ou defensivas.

Portanto, hoje conferimos dicas, possibilidades competitivas e mais sobre a companheira de Bob, com a participação especial de Edigas, jogador profissional pela Up! Gaming, um famigerado main Ashe desde o Beta.

• Dicas

Particularmente, Ashe é uma das personagens mais balanceadas do jogo, uma vez que os estragos imensuráveis possíveis e as jogadas mais efetivas demandam habilidade e muito, muito treino de posicionamento, mecânica e, principalmente, mira. Nas palavras de Edigas: Melhore a mira. Ashe não é um Doomfist.

Além disso, mantenha sempre um olho na contagem de munição de sua Víbora, pois, apesar de ela conter doze balas, o tempo para recarregar o trabuco é consideravelmente alto. Com isso, é possível que se veja em situações complicadíssimas no meio da luta justamente por não ter percebido que o recurso estava no fim, forçando Ashe a recolocar ao menos uma cápsula em sua arma e perdendo tempo possivelmente crucial na finalização de um inimigo.

E, para realmente conquistar aquele nível diferenciado com a heroína, encarne o profissional em jogos de luta e conheça os combos, mesmo que poucos, que a personagem possui. Provavelmente os dois mais comuns sejam:

Tiro sem segurar o botão direito do mouse, ou seja, com a mira normal, seguido de tiro com o scope aberto, segurando o mouse direito. Como o tiro comum possui cadência maior, é possível habilitar um segundo tiro relativamente rápido na sequência, sendo este preferencialmente enquanto segura o botão direito do mouse para que o dano seja maior e, consequentemente, o combo tenha mais efetividade. Tal macete pode emplacar de 120 a 240 de dano, dependendo da distância em relação ao alvo e da permanência ou não da cabeça deste em seu respectivo corpo.

Shift para saltar verticalmente seguido de tiro normal, arremesso de dinamite e explosão da dinamite. Tal combo exige mais habilidade, vulgo dedo, porém resulta em grande quantidade de dano a um adversário único, especialmente caso esteja fora de posição. Justamente por isso, Edigas aponta a tática como uma excelente forma de garantir o tão almejado pickoff, ou seja, punir o alvo por sua movimentação um tanto quanto… desnorteada, para dizer o mínimo.

Finalmente, lide com os tanques, principalmente Winston, fazendo bom uso de sua arma secundária, habitualmente alocada à tecla Shift, seguido do pressionamento frenético de seu tiro principal, o que garante boa quantidade de dano aos grandões do outro time, ou, pelo menos, o afastamento deles para que você também possar tomar um rumo na vida.

Resultado de imagem para ashe overwatchUma das ferramentas mais importantes da Ashe, conhecida como empata-dive (Foto: Reprodução/Blizzard)  

• Composições

Mesmo sendo bastante poderosa, Ashe não é capaz de chegar à vitória sozinha. Para tanto, composições já estão sendo especuladas para que ela possa ficar pulando que nem louc… digo, para que os pontos fortes da heroína sejam explorados ao máximo e auxiliem a equipe da melhor forma. Naturalmente, pela boa movimentação, dano de média a longa distância e capacidade de dano em área, a estreante está sendo cogitada, principalmente, nas seguintes composições:

2 snipers: Widowmaker e Hanzo ainda aparecem em diversos mapas, sempre com a intenção de promover o fogo cruzado e deixar o adversário sem escapatória, forçando erros e garantindo vantagem numérica o quanto antes. Nesse cenário, Ashe aparece provavelmente como substituta de Hanzo, pois sua movimentação é parecida, como inclusive é confirmado por Edigas, fazendo com que ela também seja capaz de contestar terrenos elevados e traga dano em área para o time. Além disso, o grande Bob  estará lá para tocar o terror no meio da luta e, se não conseguir diversos abates, ao menos espalhará a roda para que sua equipe acabe com as esperanças inimigas na sequência.

– DPS único: Em um estilo de jogo mais lento, com Reinhardt, Zarya, Brigitte, Moira e Lúcio, Ashe entra novamente no lugar do Shimada de arco-e-flecha, possibilitando os mesmos pontos positivos citados acima. Inclusive, o jogador da Up! vê esta como a principal opção para o uso competitivo da heroína. Entretanto, é importante lembrar que um dos cenários propícios de vitória da estratégia é o combo Surto de Grávitons com o Golpe do Dragão de Hanzo, que não faz muito o estilo Velho Oeste de Ashe, sendo, portanto, um ponto negativo que deve ser pesado na balança.

– Composição de Spam: Ainda é necessário escrever aprofundadamente sobre tal tática, porém ela consiste de basicamente uma defesa estática formada pelo escudo da Orisa e muita biribinha de Junkrat sendo jogada aos quatro ventos. Usualmente, tal composição traz Widowmaker, porém, tanto pelo combo de dinamite + bombas do Junk, quanto pelo dano de longa distância aplicado, Ashe pode aparecer nestas situações. A diferença é que, com Widowmaker, a possibilidade de eliminar alguém imediatamente com um tiro na cabeça existe, sendo melhor contra composições que possuem mais alvos frágeis; enquanto que, com Ashe na jogada, seu dano em área com a dinamite e a maior velocidade com que alveja os adversários podem ser úteis ao lidar com composições pesadas, como é o caso da GOATS.

• B.O.B

O parceiro provavelmente-considerado-herói-também de Ashe é uma peça fundamental de seu kit de habilidades e deve ser utilizado com sabedoria para que realmente faça alguma coisa que não seja bater na parede e responder quando sua companheira lhe dá “oi”.
Primeiramente, é importante saber que Bob é extremamente parrudo, com mil e duzentos pontos de vida, e que seu dano é altíssimo, em especial quando algum aliado foca alvos em conjunto do ômnico.

Por conta disso, a probabilidade maior é que o time adversário, principalmente em níveis mais altos de jogo, simplesmente saia correndo e não tente comprar a briga direta com Bob, até por ele não ceder carga de habilidade suprema para os inimigos. Portanto, não adianta de muita coisa utilizar o Bob à la Autodestruição da D.Va, a não ser que seu time esteja realmente faminto por espaço e muito longe de angariá-lo com o uso de habilidades de movimentação comuns.

Além disso, procure chamar seu pokém… amigo para esbarrar primeiro em tanques durante a investida, podendo abrir caminho para uma iniciação imediata de sua equipe enquanto a parede de carne inimiga está cantando “I Believe I Can Fly”. E, claro, nunca subestime o potencial de Bob ao ser invocado no meio de uma luta, pois, dessa maneira, os adversários se deparam com uma situação de perigo duplo, tendo que escolher entre continuar o combate previamente comprado ou correr da metralhadora implacável do ômnico recém convidado para festa. Vale dizer que, normalmente, os resultados dessa baguncinha não são nada agradáveis para quem ousa ir para cima do companheiro de Ashe.

Se vir exatamente isso na sua frente, CORRE! (Foto: Reprodução/Blizzard)

Por fim, não permita com que aquela Pharah chata tenha fôlego, procure ser agressivo para de cima de Junkrats – em especial caso estejam sem suas bombas para movimentação – e, em geral, não tenha medo de fazer belas jogadas. Talvez de início seja mais feio do que brigar com a mãe por conta de mistura fria, mas, aos poucos, a evolução acontece e eventualmente você se equipara ao Edigas na efetividade com o herói.

Inclusive, agradecimento especial ao DPS da Up! por ceder alguns momentos e contribuir com o texto! Semana que vem encontro com vocês novamente em mais um artigo! E claro, boa sorte reduzindo seus inimigos a cinzas (trocadilho intencional) e até a próxima! Abraço! :D

Veja também: O caminho para ser jogador profissional de Overwatch