apEX comemora vitória da VItality durante a fase de grupos da IEM Katowice (Foto: Adela Sznajder/ESL)

Mesmo que a Team Vitality termine o major sem conseguir a classificação, isso não será um problema para Dan “apEX” Madesclaire. O veterano francês destacou o espírito de equipe como principal força do quinteto para o confronto decisivo do Legends Stage da IEM Katowice.

“Estamos jogando juntos com o ALEX por menos de um mês. Não é a melhor preparação que poderíamos ter. Nós sentimos e entendemos o jogo da mesma maneira, estamos trabalhando duro para ir o mais longe possível. Eu realmente gosto do time que temos agora e quero trabalhar ainda mais para ir ainda mais longe”, contou apEX em entrevista ao Mais Esports em Katowice, na Polônia.

Ter uma atmosfera saudável faz com que todos consigam desempenhar seu melhor. ApEX, por exemplo, tem sido um dos destaques do time na campanha da IEM Katowice e conta com um rating de 1.17 segundo a HLTV.org.

Para o francês, o espírito do time e a liderança de Nathan “NBK” Schmitt são os segredos da performance:

“O espírito do time, como eu disse, tem ajudado muito. E também a liderança do NBK me permite fazer mais coisas que eu gosto. Eu não preciso ser sempre o entry fragger, as vezes eu posso ser o lurker ou fazer algo diferente. Posso ‘agressivar’ mais ou não”, explicou.

Confira a cobertura completa e in-loco do Mais Esports na IEM Katowice

Além disso, apEX destacou sua própria rotina de treinos e disse que se sente jovem novamente.

“Eu sempre fui um grande trabalhador, então não tenho problema em treinar para chegar lá. Mesmo que eu tenha 26 anos, eu só quero ser o melhor novamente. Eu não fui o melhor individualmente, mas eu falo como um time. Quero ser o melhor, quero alcançar um novo nível”, contou.

“É tudo que eu desejo, me sinto com 18 anos. Não ligo para minha idade, eu tenho a paciência e tudo o que é necessário”, completou.

SEM PRESSÃO

Apesar da espinha dorsal ser composta por veteranos, apEX destaca que dois jogadores ainda precisam se acostumar com os grandes palcos: Alex “ALEX” McMeekin e Mathieu “ZywOo” Herbaut.

Enquanto o primeiro disputa a fase principal do major pela primeira vez, o segundo sequer havia jogado um grande torneio internacional antes da IEM Katowice.

“O mais importante é mostrar para os jogadores menos experientes como lidar com a pressão. Nossa vida [na competição] depende desse jogo e eu quero que nós joguemos do nosso jeito e, se fizermos isso, tenho certeza que podemos mostrar grandes coisas”, explicou apEX.

No caso de ZywOo, a pressão tem de ser ainda mais amenizada, já que o jogador é o grande nome da equipe e é tido como o futuro da França na modalidade.

“A coisa mais importante para ele, que é um dos mais talentosos do mundo, é acalmá-lo. Nós não somos os favoritos aqui, ninguém espera que a gente vá muito longe. Só precisamos que ele não sinta a pressão. Ele não precisa pensar muito no jogo, em táticas, ele só tem de se concentrar em si mesmo”, completou.