Depois de praticamente dois meses, foram decididos os confrontos da fase final do APEX, o mais prestigioso torneio de Overwatch do planeta. Organizado pela OGN, o evento contou com quatorze equipes coreanas e duas ocidentais, que batalharam num total de 34 partidas até então para chegar nos últimos quatro.

Os favoritos no início do torneio eram Meta Athena, Lunatic Hai, LW Blue, Rogue e Runaway. As quatro equipes coreanas se destacaram na edição passada e por isso tiveram muita expectativa do público. Rogue, por sua vez, criara um estilo próprio no meta de dive, o que os deixou imbatíveis em solo ocidental antes de embarcarem pra Coréia. Dentre esses cinco, contudo, apenas o segundo conseguiu uma vaga nas semifinais.

As grandes surpresas foram as ressurgências de EnVyUs e Afreeca Blue — os finalistas da primeira temporada — , assim como a redenção de Kongdoo Panthera, que sempre fora um rolo compressor em scrims, mas nunca vingara quando era pra valer. Todas essas equipes fizeram alterações nas line-ups antes ao início da season, o que evidentemente surtiu efeito.

EnVyUs, a organização norte-americana com jogadores da Europa e Ásia, despediu-se do antigo capitão Dennis “INTERNETHULK” Hawelka e mandou Jonathan “HarryHook” Tejedor de volta para seu Lúcio de origem. Isso serviu para abrir espaço para a vinda de Kim “EFFECT” Hyeon, uma promessa que subiu ao topo da fila ranqueada coreana acumulando highlights de Tracer. Com menos de uma semana de treino, eles derrotaram num reverse sweep os rivais do Meta Athena e mostraram que agora tinham a maior flexibilidade desde que se juntaram.

Afreeca Blue, no que lhe diz respeito, substituiu o tanque Kim “adam” Yoon-hiq e o suporte Kim “AMON” Kyung-jae com Park “IDK” Ho-jin e Yoo “lucid” Jun-seo, ambos suportes. Assim, Bae “DongHyun” Dong-hyun tornou-se exclusivamente o D.Va do time. A mudança na época soou insignificante, uma vez que os problemas do time pareciam partir da antiga estrela Jeong “ArHan” Weon-hyeop, mas agora sabe-se que nada poderia ter sido melhor para os Azuis.

Por fim, Kongdoo Panthera. Após perder o primeiro jogador a bater os 5000 pontos na fila ranqueada em Koo “EVERMORE” Kyo-min para o mundo das streams, muitos se questionaram qual seria o futuro do time. A organização, no entanto, apostou todas as suas fichas na line-up ao mover Kim “birdring” Ji-hyuk do time-irmão Uncia e trazer o tank Void. A KDP, assim, ficou com discutivelmente a melhor dupla de DPS da Coréia para propulsioná-los para o topo.

EnVyUs, a esperança do oeste

A maior sequência de vitórias no oeste. O primeiro time do ocidente a vencer um torneio em solo coreano. Múltiplos troféus em LAN. Você pode enumerar os feitos do nV e por um bom tempo ninguém vai igualar.

Na segunda temporada do APEX, contudo, a equipe vencedora não teve uma boa performance. Tudo bem, eles conseguiram sair da fase de grupos, mas seus oponentes em geral não foram de alto nível. Tirando o Meta Athena, eles enfrentaram a extinta BK Stars e a MVP Infinity, equipes que nunca tiveram chances de levantar um troféu. Mesmo contra esses esquadrões era evidente que o nV não estava familiarizado com o meta, que era o dive em sua infância. A saída do torneio veio logo na sequência com duas derrotas pra Lunatic Hai e Kongdoo Uncia.

EnVyUs na Season 3 (ognglobal)

Assim, Timo “Taimou” Kettunen e seu grupo de estrelas vieram pra season atual com baixas expectativas. Eram mínimas, se comparadas às de Rogue. Mas numa pontada de sorte — ou quem sabe destino — , foram colocados num grupo praticamente idêntico ao passado (apenas com a Rhinos Gaming no lugar de MVP Infinity). Derrotaram cada um dos três adversários com propriedade, mostrando flexibilidade com os até então raros picks de Sombra, Orisa e Torbjörn. No round 2, tropeçaram nos novatos da X6-Gaming, para posteriormente derrotá-los de forma dominante a caminho das semis.

Os Garotos de Azul, agora, são a última esperança do oeste. O único meio de mostrar que a Coréia não domina mais outro esport. O caminho vai ser difícil, eles são indubitavelmente os underdogs dessas semifinais, mas se tem um time que pode derrotar os coreanos, esse time é o nV.

A ressurgência de Afreeca Blue?

Similarmente ao EnVyUs, a Afreeca Blue teve uma grande queda da Season 1 para a 2. Eles chegaram à final do APEX, onde foram massacrados 4-0 por Taimou e seu Roadhog. Depois disso, algo mudou. ArHan já não era conhecido por seu Genji. Muito pelo contrário, era ridicularizado e criticado por suas Dragon Blades. A única luz no fim do túnel era Jeong “Recry” Taek-hyun, que demonstrou incrível poderio com Soldado 76 e McCree. O time, assim, teve dificuldades em passar de um grupo considerado fácil com Uncia, Cloud9 e Conbox Spirit e saiu na sequência com derrotas pra KDP e LW Blue.

Com as mudanças na line-up para essa temporada, contudo, a Afreeca recuperou o respeito e acima de tudo o medo dos seus oponentes. Desde que trouxeram IDK e lucid, houve rumores de que estavam se dando bem nos treinos e até derrotando a atual campeã Lunatic Hai. No torneio em sí, passaram por cima da vice-campeã Runaway, assim como X6, Kongdoo Uncia e Meta Athena para acumular um total de 15 mapas sem perder. É a melhor marca até agora.

Cerimônia pré-partida do APEX (logic_ow)

Isso se deve em grande parte ao fato de Kim “Mano” Dong-kyu ter se elevado a provavelmente melhor tanque do mundo. Ele domina tanto Winston quanto Reinhardt — talvez tão bem quanto Gong “Miro” Jin-hyuk e Ryu “KAISER” Sang-hoon — e por isso os companheiros jogam em volta dele. Basta o tank se juntar a ArHan para o dive que o resto do time termina o serviço. Mas não se engane, a Afreeca não ganha jogos apenas por meio da mecânica. O técnico Kim “TaiRong” Tae-yeong revelou que o conhecimento dos jogadores aumentou muito nesta temporada, e isso está aparente. Resta saber se eles conseguem manter a forma e finalmente levar o caneco.

Kongdoo Panthera: finalmente libertados?

A Kongdoo Panthera sempre foi conhecida pelo desempenho nos scrims. Era muito comum ouvir jogadores profissionais do APEX respondendo “KDP e LW Blue” sobre quem eram os favoritos do torneio. Afinal, eles tinham EVERMORE e Kim “Rascal” Dong-jun, dois dos melhores jogadores da Coréia. Mas quando realmente importava, era o time-irmão Uncia que mostrava os melhores desempenhos.

Kim “Rascal” Dong-jun, um dos melhores DPS da Coréia (OGN)

Nessa temporada, no entanto, eles finalmente estão fazendo jus à reputação. Embora tenham estreado com uma derrota de virada pra Lunatic Hai, ao longo do tempo deu para perceber que a sinergia de Void e birdring com o resto do time foi melhorando. Por sinal, este e Rascal proporcionam uma flexibilidade imensa para o time, que pode se utilizar tanto da comp Pharmercy quanto a de puro dive.

Mesmo sendo sorteados para o grupo da morte — com LH, Rogue e Mighty AOD — , Panthera conseguiu se sair bem e avançar para a fase 2. Lá, tiveram que encarar duas potências na forma de LH e LWB, os quais despacharam com duas vitórias por 3 a 1.

Marcados para enfrentar o Team EnVyUs, eles estão em posição para vencer e chegar na primeira final da história da empresa. São definitivamente os favoritos para a partida e nada além de vitória é suficiente para Rascal e birdring. É a hora de provar que estão finalmente libertados e que todo esse hype não foi em vão.

Lunatic Hai: sem WhoRU? Sem problema

Na season passada, o time mais popular da Coréia do Sul finalmente conseguiu sua primeira taça de campeonato em LAN. Recheada de estrelas como Ryu “Ryujehong” Je-hong, Yang “tobi” Jin-mo e Miro, a Lunatic Hai amargou dois vices e um sexto lugar até alcançar a maior glória de sua história. E a vitória não foi fácil: o grupo chegou a ficar em desvantagem de 3 mapas a 0 na melhor de 7 contra a Runaway, até que conseguiram a virada. Para isso, as aquisições de Lee “WhoRU” Seung-joon e Kim “zunba” Joon-hyuk foram fundamentais. O primeiro está na disputa de melhor Genji do planeta. O segundo compete pra ser o melhor Zarya, assim como traz imensa experiência do APEX e da Copa do Mundo, o que foi considerado fundamental pra virada histórica.

Tinha tudo, então, pra ser mais uma temporada tranquila de conquistas para a organização coreana. Só que não. Sem maiores explicações, WhoRU sumiu da line-up titular e deu espaço para Moon “Gido” Gi-do, um jogador com hero pool maior, porém pior com o ninja verde. O time parecia inseguro sem o jovem prodígio, perdendo mapas que não deveriam e dependendo de Kim “EscA” In-jae — tido pelos fãs como o elo fraco da equipe — para decidir jogos.

Moon “Gido” Gi-do antes de uma partida (lovesomeuu)

Mesmo com tantos problemas, a sinergia da Lunatic Hai sobressaiu e eles avançaram pras semifinais, derrotando a Conbox e inesperadamente massacrando a LW Blue numa vitória por 3 a 0. Ficou claro que o time e sua comissão técnica fizeram o dever de casa e identificaram um meio de opor o estilo defensivo da D.Va de Kim “Mek0” Tae-hong.

A grande questão agora é se a Lunatic Hai se livrou da dependência de WhoRU ou se a mais recente vitória foi apenas fruto da cirurgia de Song “janus” Jun-hwa. Porque, caso contrário, eles só vão servir pra aumentar a sequência de vitórias da Afreeca Blue.

Não perca as semifinais da OGN Overwatch APEX!