Existem dois temas que muito são discutidos acerca de possíveis mudanças no nosso cenário competitivo: o aumento para 10 times na primeira divisão e a mudança do formato md2 para md3. Vou detalhar cada um deles e mostrar que na verdade estão relacionados.

Primeiramente, o aumento de times.

O argumento principal para essa questão é que atualmente existe uma falta de jogadores profissionais, que acaba estagnando o nível da competição. É quase um consenso que, de fato, há uma ausência de jogadores, o que acarreta até em um baixo nível em algumas posições, dada a baixa demanda.

ProGaming venceu a KaBuM e subiu para a elite do League of Legends brasileiro. Foto: Riot Games Brasil

O problema aqui é o seguinte: Fazer com que mais jogadores possam estar envolvidos na primeira divisão, treinando com os melhores, faz com que eles evoluam mais. A teoria é linda, mas ela não acontece na prática nem com 8 times e tivemos provas concretas disso na última série de promoção. Se simplesmente entupir a primeira divisão adiantasse em questão de subir o nível, nenhum time perderia sua vaga para a divisão de acesso. Olhem pra LPL! Lá existem 12 vagas e os jogos entre os times da parte de baixo da tabela são cada vez piores com o passar do tempo, não existe evolução. A solução é bem mais lenta e complicada do que simplesmente aumentar as vagas, que reforça uma cultura de imediatismo que tanto ocorre por aqui. Investimentos na divisão de acesso dão certo, e são delas que tem aparecidos novos nomes e organizações sérias. O caminho é esse.

md2 vs md3

Tenho uma má notícia para começar. Sabe quando eu disse que faltam jogadores bons? Então, o formato de apenas 2 partidas ainda mascara muitos jogadores e muitos times. Vou usar um time para dar um exemplo: a TSM. Eles terminaram em primeiro lugar na LCS NA, que usa o formato md3. Se por acaso o torneio fosse disputado em formato md2, eles teriam apenas 5 vitórias em 18 séries. Logo, times inferiores conseguiriam mais pontos e estariam melhor classificados na tabela, sendo que isso não condiz com a verdade. E isso acontece aqui no Brasil.

TSM terminou em primeiro lugar na fase regular da LCS NA. Foto: Riot Games

A falta de uma partida decisiva, em séries empatadas, além de maquiar times inferiores ainda prejudica a criação de estatísticas completas e dados de análise, o que poderia inclusive auxiliar esses times a evoluírem. Vários jogos nesse primeiro split do CBLoL terminaram em empate e ficou muito vago sobre qual estaria num momento melhor, virou discussão de torcida e análise escassa. Sem contar que o formato md3 ainda iria tornar mais dinâmico o preparo dos times para a série semanal, fazendo com que assim os times buscassem melhores equipes técnicas, envolvendo mais pessoas no cenário e abrindo novas frentes para mão de obra qualificada.

Mais preparadores, mais jogadores, mais times. E isso fica muito claro quando lembramos que certos times só procuraram melhoras quando já estavam numa situação muito complicada, e certamente alguns empates podem ter dado a falsa sensação de que estavam melhores do que realmente eram.

Resumindo a relação: estão pedindo mais vagas, para mais jogadores, sendo que nem os que já temos lá estão devidamente nivelados e preparados.

Fica minha pergunta para todos vocês: adianta simplesmente aumentar as vagas? Deixe sua opinião, juntamente com sugestões para próximas colunas.

Você pode também me enviar qualquer dúvida em meu twitter: @etsblade

Abraços do Dudu.